Lisbon & Estoril Film Festival

Lisbon & Estoril Film Festival 2015: Vencedores

O filme polaco “11 Minutos” de Jerzy Skolimowski venceu o Prémio de Melhor Filme LEFFEST, da 9ª edição do Lisbon & Estoril Film Festival, que termina hoje. O júri da selecção oficial, composto por Sabine Azéma, Cédric Villani, Jessica Hausner, Andrei Tarkovsky, Pedro Gadanho e Itamar Golan, considerou ser este o filme que “mais se destacou por acrescentar algo de inovador à linguagem cinematográfica”. O realizador já venceu o Urso de Ouro em Berlim com “Le départ” (1967), o Prémio Especial do Júri em Cannes com “O Uivo” (1978), o Prémio Especial do Júri em Vezena por duas vezes, com “O Navio Farol” (1985) e “Essential Killing” (2010), entre outros prémios e nomeações. “11 Minutos” marca o seu terceiro filme a ser realizado no século XXI, dado que Skolimowski parou de realizar filmes depois da produção de “30 Door Key” em 1991. “11 Minutos” documenta uma cadeia de acontecimentos completamente inesperados acaba por selar o destino de uma série de habitantes de uma cidade em apenas 11 minutos.

O júri atribui também o Prémio Revelação TAP ao realizador Brady Corbet, pelo filme “Childhood of a Leader”. Este filme, cuja exibição no LEFFEST se apresentou como ante-estreia, é uma fábula arrepiante sobre a ascensão do fascismo no Século XX.

O Prémio Especial do Júri foi atribuído a “Chant d’Hiver” de Otar Iosseliani. “Este filme apresenta-se como um passeio tipicamente Iosselianiano e irreverente através de um elegante bloco de apartamentos parisiense, contemplando o passado, presente e futuro”.

Após a entrega dos prémios, será exibido hoje no CCB, em antestreia, o filme “Cavaleiro de Copas” de Terrence Malick.

 

Prémio Melhor Filme Jaeger-LeCoultre

11 Minutos, de Jerzy Skolimowski

Prémio Especial do Júri João Bénard da Costa

Chant d’Hiver, de Otar Iosseliani

Prémio Revelação TAP – Melhor Realizador

Brady Corbet, por The Childhood of a Leader

 

Prémio para a Melhor Curta-Metragem

Mother Earth, de Piotr Zlotorowicz

Menção Honrosa

Marasmo, de Gonçalo Loureiro

Fonte: Lisbon & Estoril Film Festival