Esta semana foi anunciado o programa completo da 73ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza e o filme português “São Jorge” de Marco Martins foi seleccionado para a competição na secção paralela Orrizonti, que se dedica às novas correntes do cinema mundial e que será presidida por Robert Guédiguian. Este é o único filme português a marcar presença nesta edição do Festival de Veneza.

“São Jorge” marca o regresso do realizador Marco Martins a Veneza, depois de em 2006 ter estado em competição com a curta-metragem “Um Ano Mais Longo”, escrita em parceria com Tonino Guerra. Este filme, a sua terceira longa-metragem, marca também o regresso da parceria com o ator Nuno Lopes, depois de “Alice” (2005) – primeira longa-metragem de Marco Martins – o ator e o realizador voltam a trabalhar juntos.

“São Jorge” centra-se na história de um pugilista (Nuno Lopes) desempregado de longa duração que aceita um emprego numa empresa de cobranças difíceis para poder pagar as suas próprias dívidas. O filme, cruzando a ficção com o documentário, é um olhar sobre os anos de intervenção da troika em Portugal e a crise financeira que recentemente atingiu Portugal.

Fazem também parte do elenco Beatriz BatardaMariana Nunes e Gonçalo Waddington, assim como um vasto elenco de atores não profissionais.

“São Jorge” é produzido pela Filmes do Tejo e tem estreia marcada nos cinemas portugueses a 3 de novembro.

Ao todo são 35 filmes a competir na secção Orizzonti do Festival de Cinema de Veneza, que se realiza de 31 de agosto a 10 de setembro.