Veneza

Veneza 2016: Certame arranca hoje com “La La Land”

73ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza arranca hoje com o musical “La La Land”, realizado por Damien Chazelle (“Whiplash”) e protagonizado por Emma Stone, Ryan Gosling, John Legend e J. K. Simmons. O filme pretende ser uma homenagem aos musicais antigos de Hollywood, que acompanha a história de um pianista de jazz, Sebastian (Ryan Gosling) que se apaixona por uma aspirante a atriz, Mia (Emma Stone).

Até dia 10 de setembro serão exibidos filmes como “Une Vie” de Stéphane Brizé, “Nocturnal Animals” de Tom Ford, “On the Milky Road” de Emir Kusturica, “Frantz” de François Ozon, “Voyage of Time” de Terrence Malick, “Les Beaux Jours D’Aranjuez (3D)” de Wim Wenders e “O Primeiro Encontro” de Denis Villeneuve, todos a competirem pelo Leão de Ouro.

A secção Orizonti, que se dedica às novas correntes do cinema mundial e que será presidida por Robert Guédiguian, abrirá amanhã com a produção portuguesa, e única presença nacional no certame,  “São Jorge” de Marco Martins. “São Jorge” marca o regresso do realizador Marco Martins a Veneza, depois de em 2006 ter estado em competição com a curta-metragem “Um Ano Mais Longo”, escrita em parceria com Tonino Guerra. Este filme, a sua terceira longa-metragem, marca também o regresso da parceria com o ator Nuno Lopes, depois de “Alice” (2005) – primeira longa-metragem de Marco Martins – o ator e o realizador voltam a trabalhar juntos. “São Jorge” centra-se na história de um pugilista (Nuno Lopes) desempregado de longa duração que aceita um emprego numa empresa de cobranças difíceis para poder pagar as suas próprias dívidas. O filme, cruzando a ficção com o documentário, é um olhar sobre os anos de intervenção da troika em Portugal e a crise financeira que recentemente atingiu Portugal. Fazem também parte do elenco Beatriz BatardaMariana Nunes e Gonçalo Waddington, assim como um vasto elenco de atores não profissionais.

O produtor Paulo Branco contará com a presença de duas produções suas, “Os Belos dias de Aranjuez” de Wim Wenders e “À Jamais” de Benoît Jacquot.

O júri da edição deste ano tem como presidente Sam Mendes e é composto pelos realizadores Joshua Lincoln Oppenheimer e Lorenzo Vigas, pelas atrizes Gemma Arterton, Nina HossChiara Charlotte Mastroianni e Zhao Wei, pelo argumentista Giancarlo De Cataldo, e pela artista experimental Laurie Anderson.

A nova versão de “Os Sete Magníficos” de Antoine Fuqua encerrará a 73ª edição no dia 10 de setembro.