Terminou ontem a 73ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza com a habitual cerimónia de entrega dos prémios. O filme “The Woman Who Left”, do filipino Lav Diaz, conquistou o Leão de Ouro. O filme de quase quatro horas conta a história de Horacia, uma professora que passou 30 anos numa prisão por um crime que não cometeu.

O Grande Prémio do Júri foi entregue a “Nocturnal Animals” de Tom Ford, a sua segunda longa-metragem sete anos depois de “A Single Man” (2009). O Leão de Prata para Melhor Realizador foi dividido entre Amat Escalante, por “La Region Salvaje”, e Andrei Konchalovsky, por “Paradise”.

O ator português Nuno Lopes venceu o Prémio Especial de Melhor Ator na seção paralela Orizzonti do Festival de Veneza, pelo seu desempenho em “São Jorge”, de Marco Martins, único filme português presente na edição deste ano.

Nuno Lopes dedicou o prémio “à população do bairro da Bela Vista e do bairro da Jamaica, todas as pessoas que lutaram, como São Jorge, contra o dragão da austeridade. As pessoas a quem este filme dá voz”. “Quando as pessoas começarem a ser vistas como seres humanos e não números numa folha de excel, poderemos começar a discutir o futuro da Europa e dos nossos filhos”.

“São Jorge” centra-se na história de um pugilista (Nuno Lopes) desempregado de longa duração que aceita um emprego numa empresa de cobranças difíceis para poder pagar as suas próprias dívidas. O filme, cruzando a ficção com o documentário, é um olhar sobre os anos de intervenção da troika em Portugal e a crise financeira que recentemente atingiu Portugal.

“São Jorge” é produzido pela Filmes do Tejo e tem estreia marcada nos cinemas portugueses a 3 de novembro.

Vencedores
Leão de Ouro para Melhor Filme
The Woman Who Left, de Lav Diaz (Filipinas)
Grande Prémio do Júri
Nocturnal Animals, de Tom Ford (EUA)
Leão de Prata para Melhor Realizador
Amat Escalante, por La Region Salvaje (México)
Andrei Konchalovsky, por Paradise (Rússia)
Coppa Volpi para Melhor Atriz
Emma Stone, por La La Land (EUA)
Coppa Volpi para Melhor Ator
Oscar Martinez, em El Ciudadano Ilustre (Argentina)
Melhor Argumento
Noah Oppenheim, por Jackie (EUA)
Prémio Especial do Júri
The Bad Batch, de Ana Lily Amirpour (EUA)
Prémio Marcello Mastroianni
Paula Beer, em Frantz (França)

Secção Orizzonti
Melhor Filme
Liberami, de Federica Di Giacomo (Itália)
Melhor Realizador
Fien Troch, por Home (Bélgica)
Prémio Especial do Júri
Big, Big World, de Reha Erdem (Turquia)
Melhor Atriz
Ruth Diaz, em Tarde para la ira (Espanha)
Melhor Ator
Nuno Lopes, em São Jorge (Portugal)
Melhor Argumento
Wang Bing, por Bitter Money (China)
Melhor Curta
La Voz Perdida, de Marcelo Martinessi (Paraguai)