Queer Lisboa

Queer Lisboa 2016: Vencedores

Terminou ontem a 20ª edição do Festival de Cinema Queer Lisboa, com a atribuição do prémio de Melhor Longa-metragem ao filme brasileiro “Antes O Tempo Não Acabava” de Sérgio Andrade e Fábio Baldo. O Júri da Competição de Longas-Metragens, composto por Andrea Inzerillo, Rodrigo Gerace e Susanne Sachsse decidiu atribuir este prémio “pela sua abordagem complexa do que um filme queer pode ser. O filme questiona de um ponto de vista sexual, geográfico, cultural, étnico e politico e evite quaisquer estereótipos. O filme é bem-sucedido em criar uma estética cinematográfica muito interessante que combina documentário com ficção de uma forma pouco habitual de forma a permitir que as personagens se tornem os autores dos seus próprios retratos não convencionais. O filme demonstra, por isso, o que é sempre foram identidades: um processo sempre em mudança que surge de construções internas e externas.”.

“Antes O Tempo Não Acabava” venceu ainda o prémio de Melhor Ator, atribuído a Anderson Tikuna. “Com a sua interpretação frágil, subtil e poderosa, Anderson Tikuna dá-nos uma representação multifacetada de um homem que traça, com honestidade, o seu caminho através de mundos potencialmente conflituosos a nível social e sexual.”

O Júri da Competição de Documentários, composto por Cíntia Gil, Rui Filipe Oliveira e Sophie Monks Kaufman, decidiu atribuir o Prémio de Melhor Documentário ao filme “Irrawaddy Mon Amour” (Itália, 2015), de Valeria Testagrossa, Nicola Grignani e Andrea Zambelli. Segundo o Júri: “Um filme que se constrói através de delicadeza e calma, levando-nos por um mundo singular; que nos traz uma comunidade que procura resistir num contexto social violento, organizando-se a partir da cooperação entre indivíduos, da amizade e do amor, recusando normas identitárias de género ou sexualidade. Este filme é composto por imagens de enorme beleza, um ritmo e uma poética em que conflito e harmonia se complementam, mostrando-nos um mundo onde nos apetece estar.”.

O Júri da Competição In My Shorts decidiu atribuir o Prémio de Melhor Filme de Escola à curta-metragem portuguesa “Children, Madonna and Child, Death and Transfiguration”, de Ricardo Vieira Lisboa, “um filme que, utilizando imagens das curtas-metragens de Terence Davies, ousa criar uma linguagem distinta sobre uma narrativa tríptica e constrói o seu espaço cinematográfico próprio num universo queer”.

Foram ainda atribuídas duas menções especiais nesta secção. “O júri decidiu atribuir duas menções a dois filmes que de forma muito distinta exploram a sexualidade em toda a sua fantasia e para lá das convenções. La Tana (Itália, 2015), de Lorenzo Caproni, evidencia-se a forma controlada de como o autor trabalha a complexidade predatória e obsessiva da personagem principal. Em Climax (Suíça, 2015), de Fulvio Balmer Rebullida, a personagem principal descobre de forma divertida e versátil a sua sexualidade para lá da normatividade dos corpos. Em ambos os filmes sobressai a liberdade com que se explora o desejo, o corpo e os seus limites.”.

A 20ª edição do Queer Lisboa encerra assim, tendo exibido 114 filmes de 28 países diferentes, com encontro marcado para o Queer Lisboa 21, de 15 a 23 de setembro de 2017. Entretanto, a segunda edição do Queer Porto acontece entre 5 a 9 de outubro, com 30 filmes de 15 países.

Vencedores

Competição de Longas-Metragens
Melhor Longa-Metragem

Antes O Tempo Não Acabava (Brasil, 2015), de Sérgio Andrade e Fábio Baldo
Melhor Atriz
Julia Lübbert, em Rara (Chile, 2016), de Pepa San Martín
Melhor Ator
Anderson Tikuna, em Antes O Tempo Não Acabava (Brasil, 2015)
Prémio do Público
Rara (Chile, 2016), de Pepa San Martín

Competição de Documentários
Melhor Documentário

Irrawaddy Mon Amour (Itália, 2015), de Valeria Testagrossa, Nicola Grignani, Andrea Zambelli
Menção Especial do Júri
Coming Out (EUA, 2015), de Alden Peters
Prémio do Público
Waiting for B. (Brasil, 2015), de Paulo César Toledo e Abigail Spindel

Competição de Curtas-Metragens
Melhor Curta-Metragem

1992 (França, 2015), de Anthony Doncque
Menção Especial do Júri
Como En Arcadia (Espanha, 2015), de Jordi Estrada
Prémio do Público
Pink Boy (EUA, 2015), de Erick Rockey

Competição In My Shorts
Prémio Melhor Curta-Metragem de Escola

Children, Madonna and Child, Death and Transfiguration (Portugal, 2016), de Ricardo Vieira Lisboa
Menção Especial do Júri
Climax (Suíça, 2015), de Fulvio Balmer Rebullida
La Tana (Itália, 2015), de Lorenzo Caproni

Competição Queer Art
Melhor Filme

A Paixão de JL (Brasil, 2015), de Carlos Nader
Menção Especial do Júri
Trilogie de nos vies défaites (França, Holanda, Bélgica, 2016), de Vincent Dieutre

Fonte: Queer Lisboa