“Calabria”, de Pierre-François Sauter, foi o filme vencedor do Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição Internacional, da 14ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema. Um road movie sobre um emigrante italiano à procura de trabalho na Suíça, que após a morte vai ser repatriado por outros dois emigrantes, Jovan (um cigano que foi cantor em Belgrado) e José (um português apaixonado pela cultura). O júri atribuiu ainda uma Menção Honrosa a “Sol Negro”, de Laura Huertas Millán.

“Ama-San”, de Cláudia Varejão, venceu o Prémio Ingreme/Doclisboa para Melhor Filme da Competição Portuguesa. “Em Wagu, uma pequena vila piscatória da Península de Ise (Japão), três mulheres mergulham diariamente sem saber o que irão encontrar. Os seus corpos delicados em terra dão lugar a caçadoras no mar. Estes mergulhos são dados há mais de 2000 anos pelas Ama-San.”

O Prémio Kino Sound Studio distinguiu “A Cidade Onde Envelheço” de Marília Rocha e o Prémio ETIC foi para “O Espectador Espantado” de Edgar Pêra.

Júri Internacional
Grande Prémio Cidade de Lisboa
Calabria, de Pierre-François Sauter
Menção Honrosa
Sol Negro, de Laura Huertas Millán
Prémio Sociedade Portuguesa de Autores
Azayz, de Ilias El Faris
Prémio FCSH – Melhor Primeira-Obra
300 Miles, de Orwa Al Mokdad
Prémio Jornal Público
Downhill, de Miguel Faro

Júri Nacional
Prémio Ingreme DocLisboa
Ama-San, de Cláudia Varejão
Prémio Kino Sound Studio
A Cidade onde Envelheço, de Marília Rocha
Prémio José Saramago
Correspondências, de Rita Azevedo Gomes

Júri Escolas
Prémio Escolas ETIC
O Espectador Espantado, de Edgar Pêra

Júri Verdes Anos
Grande Prémio La Guarimba
Pulse, de Robin Petré
Prémio Especial do Júri
O Cabo do Mundo, de Kate Saragaço-Gomes

Prémio do Público
Cruzeiro Seixas – As Cartas do Rei Artur, de Cláudia Rita Oliveira