Em Memória

Morreu Emmanuelle Riva

Morreu ontem a atriz francesa Emmanuelle Riva, aos 89 anos, vítima de cancro, em Paris, conhecida como um dos símbolos do amor da Nouvelle vague francesa. A sua carreira ficou marcada sobretudo por dois filmes, “Hiroshima, Meu Amor” (1959), um dos mais importantes da história do cinema e a primeira longa-metragem de Alain Resnais, e “Amor” (2012) de Michael Haneke, tendo este último valido-lhe a nomeação para o Óscar de Melhor Atriz (a atriz mais velha a receber uma nomeação nesta categoria) e o prémio César de Melhor Atriz. No filme de Haneke, um dos seus grandes sucessos de crítica e de público, Riva contracenou com outro grande ator da sua geração, Jean-Louis Trintignant.

Participou em cerca de 50 filmes, tendo a sua interpretação destacado-se em filmes como: “Morte sem perdão” (1960) de Laslo Benedek, “Amor Proíbido” (1961) de Jean-Pierre Melville, “O Pecado de Teresa” (1962) de Georges Franju, “Os Ossos do Ofício” (1967) de André Cayatte, “Viagem Entre Mulheres” (1970) de Michel Worms, “Três Cores: Azul” (1993) da trilogia de Krzysztof Kieslowski e mais recentemente “O Verão do Skylab” (2011) de Julie Delpy.