Cannes

Cannes 2017: Pedro Almodóvar irá presidir o Júri do 70º Festival de Cannes

A organização do Festival de Cannes anunciou hoje que o realizador e argumentista espanhol Pedro Almodóvar irá ser o Presidente da 70ª edição do Festival de Cannes, que se realizará entre os dias 17 a 28 de maio. Um “ícone flamejante do cinema espanhol e um realizador célebre em todo o mundo”, segundo Pierre Lescure, presidente do festival, e Thierry Frémux.

Pedro Almodóvar declarou: “Sinto-me muito feliz por celebrar o 70.º aniversário nesta função tão privilegiada. Sinto-me reconhecido e honrado, mas também com medo. Estou ciente da pesada responsabilidade que é ser presidente do júri e espero mostrar-me à altura das circunstâncias. Posso prometer que vou entregar-me de corpo e alma a este desafio que é simultaneamente um prazer e um privilégio”.

Um dos mais conceituados autores do cinema europeu, com cerca de 35 obras, com cerca de 20 longas-metragens onde abordou temas como a paixão, o destino, a culpa, e géneros como a tragédia, a farsa, o vaudeville, o fantástico, a comédia musical e o thriller. É “autor de uma filmografia deslumbrante e iconoclasta, um contador de histórias virtuoso”, onde se destacam obras como “Pepi, Luci, Bom e Outras Tipas do Grupo” (1980), “Ata-me!” (1989), “Tudo Sobre a Minha Mãe” (1999), “Fala com Ela” (2002), “Má Educação” (2004), “Voltar” (2006), “Abraços Desfeitos” (2009) e mais recentemente “Julieta” (2016).

Trabalhou com um grupo de atores que o seguem fielmente e que respiram a vida das suas personagens maravilhosamente humanas, como Penélope Cruz, Marisa Paredes, Antonio Banderas, Rossy de Palma, Javier Bardem, Javier Cámara, Carmen Maura e Victoria Abril.

Almodóvar é uma das presenças mais recorrentes na história do festival nas últimas décadas. Mas nunca ganhou uma Palma de Ouro, apenas o prémio de Melhor Realizador e o Prémio do Júri por “Tudo Sobre a Minha Mãe”; Melhor Argumento por “Voltar” e Prémio Jovem por “A Pele Onde Eu Vivo”. Em 2004 o seu filme “Má Educação” abriu a 60ª edição de Cannes e em 2016 o seu filme “Julieta” estava em competição pelo prémio máximo. É a primeira vez que um realizador espanhol preside o júri de Cannes.

A selecção oficial e os restantes membros do júri serão divulgados em meados de abril.