Críticas, Nos Cinemas

«Vedações» – Lar, amargo, lar

8 out of 10

“Vedações” é um filme baseado na peça de teatro “Fences”, de 1983, escrita por August Wilson. A peça aborda as questões raciais vividas pela classe trabalhadora afro-americana, assim como as tensões familiares que abalam as relações, que acabam por ser contaminadas por ressentimentos e frustrações geradoras de um ciclo destrutivo que se estende por gerações.

A narrativa foca-se na personagem de Troy Maxson (Denzel Wahsington), um homem de 53 anos que luta para sustentar a sua família: a esposa, Rose (Viola Davis), o filho Cory (Jovan Adepo), o irmão Gabriel (Mykelti Williamson), o filho de um casamento anterior, Lyons (Russell Hornsby) e Raynell (Saniyya Sidney), filha de uma relação extra-conjugal. Troy vive um enorme desgosto por reconhecer em si mesmo talento para o Baseball, mas que o viu injustamente desperdiçado, pelo facto de ser negro, o que o levou a ter de ganhar a sua vida como colector de lixo.

O filme conta-nos como a perda do sonho de Troy, em se tornar um famoso jogador de basebol, vai condicionar, tanto a construção da sua personalidade, onde é evidente a sua entrega ao álcool, como a sua relação com todos os que o rodeiam, desde o seu melhor amigo, Bono (Stephen Henderson) , à esposa Rose e, principalmente, com o filho Cory, que tem o mesmo sonho do pai, mas que o vê desfeito pelo ressentimento que Troy emana em todos os seus gestos. É aqui que encontramos a transferência de um ressentimento que Cory irá absorver e que mudará para sempre a sua relação com Troy. Como poderá o amor que Cory guarda dentro de si, a paixão pelo basebol, a sua generosidade, os gestos de carinho para com a mãe, como poderá isso tudo ser engolido, durante anos, por um sentimento de raiva, criado por um gesto de um pai? Será que Cory conseguirá, um dia, perdoar?

Mas, estas tensões masculinas entre pai e filho são apenas manifestações que tornam visível uma heroicidade que quebra qualquer lógica narrativa tradicional, pois, nesta história, o protagonista da história é levado ao colo, e com ele, todas as outras personagens que lhe estão relacionadas: é Rose o pilar que tudo suporta, desde de dentro de uma vedação que a aprisiona, sacrificando o seu ego numa entrega completa ao seu marido e filhos. E, Viola Davis impressiona na forma soberba como interpreta a personagem, transmitindo-lhe a força e intensidade que ela necessita: com tal desempenho, talvez Denzel Washington tenha sido arrebatado, no plateau, tanto quanto eu fui, sentado numa cadeira…

Denzel Washington é bem sucedido ao usar os meios do cinema para captar a essência da peça, não tornando o filme num mero teatro filmado, como diria André Bazin; consegue levar ao espectador o melhor de dois mundos: a extrema riqueza simbólica do teatro, nos seu signos puros, cheios, que parecem condensar em si a essência das personagens – como a garrafa de gin de Troy, que vai passando de mão em mão; a guitarra de Lyons, que logo revela a personagem; o trompete de Gabriel; o dinheiro que Troy deixa em cima da mesa para Rose, etc. O realizador fica com a tarefa dificultada ao ver o cenário reduzido a um espaço, mas é aí que reside o seu valor, na forma como aproveita tudo o que envolve as personagens. Denzel Washington compensa a fixidez do espaço e a torrencial de diálogos com vários movimentos de câmera circulares cortados, o que imprime um forte dinamismo na imagem, e com isso, consegue captar a atenção do espectador – embora sejam os diálogos que mais consigam essa atenção.

“Vedações” faz-nos olhar com uma atenção redobrada para o papel fulcral da educação parental, para que o amor se sobreponha sempre à responsabilidade; porque, afinal, criar um filho é uma tarefa hercúlea, e só no amor existe o cuidado para que não se lhe transfiram os medos e antes se lhe dê o impulso fundamental para que, um dia, possa saltar todas as vedações, numa busca, incessante, por si mesmo.

Realização: Denzel Washington
Argumento: August Wilson (argumento), August Wilson (baseado na sua peça “Vedações”)
Elenco: Denzel Washington, Viola Davis, Stephen Henderson
EUA/2016 – Drama
Sinopse
: A história de Troy Maxson, um trabalhador dos saneamentos de Pittsburgh que sonhou ter uma carreira no baseball, mas que já era demasiado velho quando as ligas principais começaram a aceitar jogadores negros. Ele tenta ser um bom marido e pai, mas o seu sonho perdido de glória consome-o e força-o a tomar uma decisão que ameaça destruir a sua família.