Já é conhecido o programa completo da 15ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema, um dos mais importantes festivais internacionais de cinema documental, que irá decorrer de 19 a 29 de outubro, na Culturgest, no cinema São Jorge, no Cinema Ideal e na Cinemateca Portuguesa. O programa do Doclisboa 2017 é composto por 231 filmes, oriundos de 44 países, dos quais 52 são estreias mundiais, 44 são filmes portugueses e 4 são estreias europeias.

A sessão de abertura do 15º DocLisboa acontece a 19 de outubro com a estreia mundial de “Ramiro”, a mais recente obra de Manuel Mozos (“João Bénard da Costa – outros amarão as coisas que eu amei”), uma divertida e tocante comédia que conta a história de Ramiro, um alfarrabista em Lisboa e poeta em perpétuo bloqueio criativo. Vive, algo frustrado, algo conformado, entre a sua loja e a tasca, acompanhado pelo cão, pelos fiéis companheiros de copos e pelas vizinhas: uma adolescente grávida e a avó a recuperar de um AVC. “Um filme imperdível de um dos mais importantes e carismáticos realizadores portugueses.”

“Uma outra América – o singular cinema do Quebeque”, em parceria com a Cinemateca Portuguesa, é uma das retrospectivas desta edição, “que traz um conjunto de filmes que nascem de encontros entre cineastas, em que cada filme parece trazer uma pulsão de vida ou morte – como em La Bête Lumineuse, de Pierre Perrault, em que a poesia convive com a dor, a violência, o confronto entre almas. O ‘Velho Mundo’ e o ‘Novo Mundo’ surgem nestas duas viagens, ajudando-nos a ver melhor de onde vimos e de onde vêm as nossas interrogações contemporâneas.”.

Outra das retrospectivas é dedicada à cineasta checa Vera Chytilová, “mulher profundamente lutadora e obstinada, criou uma obra provocadora e plena de atenção aos detalhes dos humanos, aos pequenos gestos, aos pequenos assuntos, trazendo-os para o lado das questões aparentemente maiores da ordem política, do trabalho, do feminismo. Boris Nelepo acompanhar-nos-á na descoberta desta filmografia.”

A secção competitiva internacional conta com 19 filmes e a portuguesa com 11 filmes, dos quais se destacam, por exemplo, “Dom Fradique” de Nathalie Mansoux, “Vira Chudnenko” de Inês Oliveira, “António e Catarina” de Cristina Hanes. A secção Riscos, que inclui obras que questionam “as noções de ficção e documentarismo, questionando os modos de percepção e do olhar, bem como a revisão crítica do cinema”, como por exemplo: “Aldeia dos Rapazes – Orfanato Sta. Isabel de Albarraque” de Bárbara Virgínia, “Altas Cidades de Ossadas” de João Salaviza, “Quem é Bárbara Virgínia?” de Luísa Sequeira, “Sea of Clouds” de George Clark e “Grandeur et décadence d’un petit commerce de cinéma” de Jean-Luc Godard.

A artista plástica norte-americana Sharon Lockhart é a artista convidada para a secção Passagens, a ter lugar no Museu Colecção Berardo. O filme sensação e menção especial Signs of Life no Festival de Locarno, “Era uma vez Brasília”, de Adirley Queirós, é o filme da sessão de encerramento do certame, acontecer a 28 de outubro. “Em 1959, o agente intergaláctico WA4 é preso e é lançado no espaço. Recebe uma missão: vir à Terra matar o presidente da República no dia de inauguração de Brasília. A nave perde-se no tempo e aterra em 2016, na Ceilândia. Só Andreia poderá ajudar a montar o exército para matar os monstros que hoje habitam o Congresso Nacional.”

Programa

Ramiro, de Manuel Mozos – Filme de Abertura
Era uma vez Brasília, de Adirley Queirós – Filme de Encerramento

Competição Internacional
Also Known as Jihadi, Eric Baudelaire, França, Turquia
Chjami è rispondi, Axel Salvatori-Sinz, França
End of Life, John Bruce, Paweł Wojtasik, EUA, Grécia,
The Fish (El pez), Martin Verdet, França,
I would prefer not to (Preferiría no hacerlo), Ileana Dell’Unti, Argentina, Espanha
Inside (Interior), Camila Rodríguez Triana, Colômbia, França
Manel lives in Sarajevo (Manel viu a Sarajevo), Manel Raga Raga, Bósnia e Herzegovina, Espanha
Martírio, Vincent Carelli, Brasil
Milla, Valérie Massadian, França, Portugal
Mirador, Lucia Martinez, Suíça
Oumoun, Fairuz Ghammam, El Moïz Ghammam, Bélgica, Tunísia
People Pebble, Jivko Darakchiev, Perrine Gamot, Reino Unido, França
Purge This Land, Lee Anne Schmitt, EUA
Saule Marceau, Juliette Achard, França, Bélgica
Spell Reel, Filipa César, Alemanha, Portugal, França
Tripoli Cancelled, Naeem Mohaiemen, Grécia, Reino Unido, EUA, Bangladeche
Why is Difficult to make Films in Kurdistan, Ebrû Avci, Turquia
The Wild Frontier (L’Héroïque Lande, la Frontière brûle), Nicolas Klotz, Elisabeth Perceval, França

Competição Portuguesa
À Tarde, Pedro Florêncio
António e Catarina, Cristina Hanes
Barulho, Eclipse, Ico Costa
O Canto de Ossobó, Silas Tiny
Diário das Beiras, João Canijo, Anabela Moreira
Dom Fradique, Nathalie Mansoux
Espadim, Diogo, Pereira
Foretes, Margaux Dauby
I don’t belong here, Paulo Abreu
Notas de Campo, Catarina Botelho
Vira Chudnenko, Inês Oliveira

Riscos
Ce gamin, là, Renaud Victor, França
Le moindre geste, Jean-Pierre Daniel, Fernand Deligny, Josée Manenti, França
Sea of Clouds, George Clark, Reino Unido, Taiwan
A Distant Echo, George Clark, Reino Unido, EUA
Children must laugh, Aleksander Ford, Polónia
Rudzienko, Sharon Lockhart, EUA, Polónia
Aldeia dos Rapazes, Bárbara Virgínia, Portugal
Quem é Bárbara Virgínia?, Luísa Sequeira, Portugal, Brasil
Três Dias sem Deus, Bárbara Virgínia, Portugal
Altas Cidades de Ossadas, João Salaviza, Portugal
An Injury to One, Travis Wilkerson, EUA
Serpent Rain, Arjuna Neuman, Denise Ferreira da Silva, Noruega
Tell Me when You die, Amber Bemak, Nadia Granados, México
Borderhole, Amber Bemak, Nadia Granados, México, Colômbia, EUA
The Genre, Klim Kozinsky, Rússia
Electro-Pythagorus (A Portrait of Martin Bartlett), Luke Fowler, Reino Estreia Portuguesa Unido, Canadá
Conversation with a Cactus, Elise Florenty, Marcel Türkowsky, França, Alemanha, Japão
Did You wonder who fired the Gun?, Travis Wilkerson, EUA
Le film de Bazin, Pierre Hébert, Canadá
Grandeur et décadence d’un petit commerce de cinéma, Jean-Luc Godard, França Suíça
Nursing history, Mike Hoolboom, Canadá
Visiting Hours, Mike Hoolboom, Canadá
A Great Noise, Guillaume Mazloum, França
Tepantar, Pierre Michelon, França
Gummo, Harmony Korine, EUA
Miroir séb fragile!, Sirah Foighel Brutmann, Eitan Efrat, Bélgica
Those Shocking Shaking Days, Selma Doborac, Áustria, Bósnia e Herzegovina
Monkey, Ostrich and Grave, Oleg Mavromatti, EUA, Bulgária, Israel, Rússia
Sleep has Her House, Scott Barley, Reino Unido
Those who make Revolution Halfway only dig Their Own Graves (Ceux qui font les révolutions à moitié n’ont fait que se creuser un tombeau), Mathieu Denis, Simon Lavoie, Canadá

Fonte: DocLisboa