O Porto/Post/Doc regressa à baixa do Porto para uma 4ª edição, que se realiza no Teatro Rivoli, no Teatro Passos Manuel, de 27 de novembro a 2 de dezembro. O programa completo já é conhecido e demonstra que o festival quer exibir filmes para um público mais alargado, com estreias nacionais de filmes muito aguardados.

O certame abre com a antestreia nacional do novo filme de Sofia Coppola, “The Beguiled”, um remake da adaptação de 1971, realizado por Don Siegel e protagonizado por Clint Eastwood. O novo filme de Sofia Coppola, que conta com Nicole KidmanKirsten DunstElle Fanning, e Colin Farrell no elenco, estreia no dia 27 de novembro, no grande auditório do Rivoli, pelas 21h30. O filme de encerramento será “Lucky”, de John Carroll Lynch, em gesto de homenagem ao recém falecido ator Harry Dean Stanton. Estes dois filmes fazem parte da nova secção do festival, a secção Highlights, que é composta ainda por filmes como “120 Batimentos por Minuto” de Robin Campillo, “Uma Sequela Inconveniente: A Verdade ao Poder” de Bonni Cohen e Jon Shenk (promovido por Al Gore), “A Viagem do Tempo: A Jornada da Vida” de Terrence Malick, “Grace Jones: Bloodlight And Bami” de Sophie Fiennes e “Dries” de Reiner Holzemer.

A 4ª edição do Porto/Post/Doc terá como foco o arquivo e a pós-memória, pelo que criou uma parceria com o CES (Centro de Estudos Sociais) da Universidade de Coimbra, e com o seu projeto Memoirs: Filhos de Império e pós-memórias europeias, permitindo a exibição de filmes muito recentes que utilizam material de arquivo, aprofundando um debate sobre a memória e sobre o passado. “Procura-se, com o programa, dar conta da utilização do arquivo como meio de produção de novas narrativas documentais e da preponderância desse método para interrogar a história do século XX.”

Um dos grandes focos é a secção O Cinema Verdade: 100 Anos de Jean Rouch, que irá projetar as principais obras do autor francês Jean Rouch, em cópias restauradas, numa homenagem ao centésimo aniversário do seu nascimento.

O Fórum do Real será dedicado ao Arquivo e Pós-Memória (Memória, Ditadura e Colonialismo), que contará com a presença de realizadores como Paz Encina, Albertina Carri, José Miguel Ribeiro ou Filipa César; o escritor Paulo Faria (autor do livro Estranha Guerra de Uso Comum, sobre a guerra colonial); o reconhecido crítico cultural argentino Jorge La Ferla; os estudiosos do arquivo Vicente Sanchez-Biosca e Maria do Carmo Piçarra (que se têm debruçado sobre as imagens das ditaduras espanhola e portuguesa, respetivamente); e o diretor do ANIM – Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, Tiago Baptista.

A competição internacional do festival contará com 12 filmes, que arranca com “Era Uma Vez Brasília” de Adirley Queirós. A competição Cinema Novo, dedicada à produção cinematográfica nas escolas, é composta por 9 de filmes de universidades e politécnicos portugueses, ou de estudantes portugueses a estudar no estrangeiro.

Esta será certamente a melhor edição do Porto/Post/Doc até ao momento, pelo programa rico e diversificado apresentado.

Competição Internacional
Era Uma Vez Brasília, de Adirley Queirós
City of Ghosts, de Matthew Heineman
Taste of Cement, de Ziad Kalthoum
The Firs Shot, de Federico Francioni e Yang Cheng
Wild Plants, de Nicolas Humbert
Dragonfly Eyes, de Xu Bing
Stranger in Paradise, de Guido Hendrikx
Tierra Sola, de Tiziana Panizza
Gray House, de Austin Lynch, Matthew Booth
Lida, de Anna Eborn
Meteors, de Gurcan Keltek
Makala, de Emmanuel Gras

Competição Cinema Novo
De Madrugada, de Inês de Lima Torres
Volfrâmio, de José Sá Pinto
Norley e Norlen, de Flávio Ferreira
Palingénese, de Nuno Braumann
Próxima, de Igor Dimitri e Gabriel Martinho
Permanência, de Bianca Martins
Odisseia dos Pássaros, de Fernando Cavaleiro
Jacarépaguá, de Maria Ganem
The Quest of the Lonely Dorymen, de Mariana Mendes Delgado

Highlights
The Beguiled, de Sofia Coppola
Lucky, de John Carroll Lynch
120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo
Uma Sequela Inconveniente: A Verdade ao Poder, de Bonni Cohen e Jon Shenk
A Viagem do Tempo: A Jornada da Vida, de Terrence Malick
Grace Jones: Bloodlight And Bami, de Sophie Fiennes
Dries, de Reiner Holzemer

Fonte: Porto/Post/Doc