A primeira obra do cazaque Emir Baigazin, na altura com apenas 29 anos, faz do tema do bullying o pretexto para um retrato surrealista e irónico sobre a violência em contexto de escola, num liceu rural do Cazaquistão.

“Lições de Harmonia” segue a história de Aslan, um pré-adolescente que, abandonado pela mãe, (sobre)vive com a sua avó idosa, numa casa perdida na natureza e solidão inóspita.

Após um episódio humilhante por parte dos colegas, durante um exame médico de rotina, Aslan passa a ser vítima de maus tratos físicos e psicológicos diários, o que reforçou a sua “concha de isolamento”, causando no jovem uma obsessão pela limpeza e um sadismo crescente em relação a insetos e répteis, as cobaias das mais bizarras/cruéis “experiências científicas”.

Na verdade, Aslan não é o único a sofrer bullying no liceu. Toda a escola é dominada por um gangue liderado por Bolat (Aslan Anarbayev), que faz parte de toda uma espécie de hierarquia etária que se escala fora da escola. Ao contrário das aulas lecionadas, a crueldade é verdadeira lição de todos os dias e a violência mantém a ordem.

Este “ensaio sobre a crueldade” vai desfilando perante os nossos olhos de um modo austero e poético até. O apuramento estético e a elegância formal de Baigazin, realizador, argumentista e montador do filme, fazem deste um trabalho belo e perturbante, mas que choca com a intensidade dramática, de tão díspar que é. O enredo não tem grandes objetivos narrativos, e fica esquecido no meio da palete de cores neutras, nos grandes planos estáticos e na banda sonora de silêncios. “Lições de Harmonia” é uma obra estanque, cuja técnica se admira mas com o qual dificilmente se consegue empatia.

Mas esse virtuosismo técnico é de se louvar: traz a tona de água uma dimensão gélida, quase alienígena da crueldade que faz desta escola uma casa de horrores. A perseguição a Aslan é quase como que uma reminiscência do clima das antigas repúblicas da União Soviética.

“Lições de Harmonia” recebeu o Urso de Prata no Festival de Cinema de Berlim, em 2013. Foi ainda distinguido no Lisbon & Estoril Film Festival com o Prémio Especial do Júri – João Bénard da Costa. É uma proposta interessante de um cinema que não chega ao nosso país com tanta regularidade.

Realização: Emir Baigazin
Argumento: Emir Baigazin
Elenco: Timur Aidarbekov, Aslan Anarbayev, Mukhtar Andassov, Anelya Adilbekova, Omar Adilov, Adlet Anarbekov
Alemanha/Cazaquistão – 2013
Drama
Sinopse
Durante um exame médico, Aslan (Timur Aidarbekov), de 13 anos, é humilhado pelos colegas de escola. Aslan torna-se vítima de bullying, com os maus tratos a tornarem-se coisa diária.

 

«Lições de Harmonia» - A anatomia da crueldade humana
3.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos