“São Jorge”de Marco Martins, triunfou na 6ª edição dos Prémios Sophia, atribuídos pela Academia Portuguesa de Cinema. Nomeado para com 14 categorias, venceu em 7: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Ator Secundário, Melhor Argumento Original, Melhor Fotografia e Melhor Direção Artística. Nuno Lopes, vencedor do Sophia de Melhor Ator, por “São Jorge”, fez o discurso mais importante e político da noite, sobre a contínua falta de apoios à cultura, em especial ao cinema português. Na cultura portuguesa “os anos da crise ainda não passaram”. Nuno Lopes disse ainda que “Um país sem cultura é uma área mal ocupada”, visto que o setor da cultura continua a ter menos de 0,2% do orçamento do Estado.

Seguem-se “Peregrinação” de João Botelho que venceu três Sophias (Melhor Maquilhagem e Cabelos, Melhor Efeitos Especiais/Caracterização e Melhor Guarda-Roupa), “A Fábrica de Nada” com dois Sophias (Melhor Argumento Adaptado e Melhor Montagem) e “Uma Vida à Espera” também com dois Sophias (Melhor Atriz Secundária e Melhor Canção Original). “Al Berto” venceu o Sophia de Melhor Som, “Fátima” o Sophia de Melhor Atriz (Rita Blanco) e “Nos Interstícios da Realidade ou o Cinema de António de Macedo” o prémio de Melhor Documentário.

Esta foi uma cerimónia tosca que ficou marcada por momentos caricatos e bastante embaraçosos. Não foi à sexta edição que a Academia conseguiu uma cerimónia decente. Houve quem comentasse que “o argumentista dos diálogos desta gala deve ter sido júri do ICA nos últimos três anos.”. O que valeu foram mesmo os filmes vencedores (e os nomeados) que demonstram a enorme qualidade e dinâmica do cinema português.

Nomeados
Melhor Filme
São Jorge, de Marco Martins
Melhor Realizador
Marco Martins, por São Jorge
Melhor Ator
Nuno Lopes, em São Jorge
Melhor Atriz
Rita Blanco, em Fátima
Melhor Ator Secundário
José Raposo, em São Jorge
Melhor Atriz Secundária
Isabel Abreu, em Uma Vida à Espera
Melhor Argumento Original
Ricardo Adolfo e Marco Martins, por São Jorge
Melhor Argumento Adaptado
Pedro Pinho, Luisa Homem, Leonor Noivo, Tiago Hespanha, por A Fábrica de Nada
Melhor Fotografia
Carlos Lopes, por São Jorge
Melhor Som
Pedro Melo, Elsa Ferreira e Branko Neskov, por Al Berto
Melhor Montagem
Cláudia Oliveira, Edgar Feldman, Luísa Homem, por A Fábrica de Nada

Melhor Maquilhagem e Cabelos
Rita Castro, Felipe Muiron, por Peregrinação
Melhor Direção Artística
Wayne dos Santos, por São Jorge
Melhor Efeitos Especiais/Caracterização
Nuno Esteves “Blue”, por Peregrinação
Melhor Guarda-Roupa
Joana Veloso, por Peregrinação
Melhor Banda Sonora Original
Rita Redshoes & The Legendary Tigerman, por Ornamento e Crime
Melhor Canção Original
Fim – composição e interpretação Lúcia Moniz – Uma Vida à Espera
Melhor Documentário
Nos Interstícios da Realidade ou o Cinema de António de Macedo, de João Monteiro
Melhor Série/Telefilme
Madre Paula
Prémio Sophia Estudante
Snooze, de Dinis Leal Machado – ESMAD
Melhor Curta-Metragem de Ficção
Coelho Mau, de Carlos Conceição
Melhor Curta-Metragem de Animação
A Gruta De Darwin, de Joana Toste
Melhor Documentário em Curta-Metragem
O Homem Eterno, de Luís Costa
Prémios Sophia Carreira
Lauro António
Ana Lorena
Artur Correia