Já é conhecida a selecção oficial que vai competir pelo Prémio LUX 2018atribuído pelo Parlamento Europeu durante a sessão solene, em Estrasburgo. Foi durante a 53.ª edição do Festival de Karlovy Vary que se ficaram a conhecer os dez filmes que vão competir nesta iniciativa, e que abrange uma variedade imprevisível de géneros e tons de toda a Europa. A edição 2018 reúne o melhor do cinema contemporâneo europeu, abrangendo variados temas, desde imigração, populismo, nacionalismo, alterações climáticas, à guerra, memória, justiça, religião e diversidade, estes filmes espelham os desafios e medos da nossa sociedade como nunca antes. O Prémio LUX é entregue anualmente pelo Parlamento Europeu para realçar a diversidade do cinema europeu e a sua importância na construção de valores sociais e culturais.

A lista desta 11.ª edição é composta por filmes que estrearam em alguns dos mais importantes festivais de cinema do mundo: “Border”, de Ali Abbasi,Donbass“, de Sergei Loznitsa, “Girl”, de Lukas Dhont, “Happy as Lazzaro”, de Alice Rohrwacher, “Woman at War”, de Benedikt Erlingsson (Festival de Cannes), “Mug”, de Małgorzata Szumowska, “Styx”, de Wolfgang Fischer, “The Silence of Others”, de Almudena Carracedo e Robert Bahar, “U – July 22”, de Erik Poppe (Festival de Berlim) e “The Other Side of Everything”, de Mila Turajlić (Festival Internacional de Cinema Documental de Amesterdão).

Dos dez filmes, três vão ser selecionados e exibidos com legendas em todos os Estados-Membros da União Europeia durante os Dias de Cinema Lux, no outono. Os 3 melhores filmes vão ser anunciados no final de julho e o vencedor será conhecido a 14 de novembro, em Estrasburgo. O vencedor será exibido em todos os 28 países da União Europeia no final do ano. Em 2017, o vencedor do Prémio LUX foi “Sámi Blood”, da realizadora sueca Amanda Kernell.

Selecção Oficial
Border, de Ali Abbasi (Suécia/Dinamarca)
Donbass, de Sergei Loznitsa (Alemanha/Ucrânia/França/Holanda/Roménia)
Girl, de Lukas Dhont (Bélgica/Holanda)
Happy as Lazzaro, de Alice Rohrwacher (Itália/Suíça/França/Alemanha)
Mug, de Małgorzata Szumowska (Polónia)
Styx, de Wolfgang Fischer (Alemanha/Austria)
The Other Side of Everything, de Mila Turajlić (Sérvia/França/Qatar)
The Silence of Others, de Almudena Carracedo e Robert Bahar (Espanha/EUA)
U – July 22, de Erik Poppe (Noruega)
Woman at War, de Benedikt Erlingsson (França/Islândia/Ucrânia)