Três anos depois de “Amor Impossível” (2015), o realizador António-Pedro Vasconcelos regressa aos cinemas com um novo filme, “Parque Mayer”, sobre o inicio do salazarismo. O filme, escrito por Tiago Santos, decorre em 1933, numa altura em que o Estado Novo começava a formar-se. O elenco é composto por Francisco Froes, Daniela Melchior, Diogo Morgado e Miguel Guilherme.

Sinopse: Lisboa, 1933. Num teatro do Parque Mayer, durante os ensaios para uma nova revista, há de tudo: amores não correspondidos, pequenos dramas pessoais e uma constante luta contra a censura e a hábil tentativa de a contornar. Mas, acima de tudo, o Parque Mayer esconde segredos, terríveis segredos com a capacidade de destruir vidas no tempo em que o Estado Novo começa a apertar o seu cerco e a liberdade está cada vez limitada. Portugal inteiro está no “Parque Mayer”, onde a resistência à opressão será feita com um quadro de revista numa sala que responde com uma ovação de pé.

Produzido pela MGN Filmes, com Tino Navarro como produtor, “Parque Mayer” deve estrear nas salas de cinema nacionais a 6 de dezembro de 2018.