A Academia Portuguesa de Cinema vai entregar a Tom Fleischman, misturador de som nova-iorquino, cinco vezes nomeado aos Óscares e vencedor da edição de 2012 na categoria de Melhor Edição de Som (“A Invenção de Hugo”,de Martin Scorsese), no dia 14 de dezembro na Cinemateca Portuguesa, o Prémio Carreira (Sophia 2018 Lifetime Achievment Award) e o diploma de Membro Honorário Internacional.

Fleischman trabalhou também noutros projetos de Scorsese, como “Gangs de Nova Iorque” (2002), “O Aviador” (2004), “Shutter Island” (2010), “O Lobo de Wall Street” (2013) e “Silêncio” (2016).

Para o presidente da Academia Portuguesa de Cinema, Paulo Trancoso, Tom Fleischman “é uma figura de referência da sonoplastia fílmica, com um papel preponderante no reconhecimento da importância do som e da sua mistura e edição para o êxito das obras cinematográficas”.

Após a entrega do galardão, será exibido na Sala M. Félix Ribeiro um dos maiores sucessos da carreira de Tom Fleischman, “O Silêncio dos Inocentes” (1991), de Jonathan Demme.

No dia anterior, 13 de dezembro, antecipando a cerimónia dos Sophia Estudante 2018, que este ano acontecem no Teatro Rivoli, no Porto, Tom Fleischman vai dar uma masterclass sobre “O Som no Cinema”.

Esta é a terceira vez que a Academia Portuguesa de Cinema atribui o diploma de Membro Honorário Internacional. A primeira foi em setembro de 2017, numa homenagem à atriz inglesa Vanessa Redgrave, e a segunda há um ano, integrada nos Sophia Estudante 2017, com a entrega do galardão ao diretor de fotografia italiano Vittorio Storaro.