“Becoming Cary Grant” é um documentário, apresentado no Festival de Cannes 2017, que retrata através das próprias palavras de Cary Grant, um dos maiores atores de Hollywood, a sua história de vida e luta para se libertar dos seus próprios demónios e do vício com o LSD.

Realizado por Mark Kidel e interpretado por Jonathan Pryce, explora a sua vida desde a infância de pobreza até à fama mundial. Cary Grant (1904-1986) ‘fala’ através de excertos de uma autobiografia inédita (lida por Jonathan Pryce) e através de filmes caseiros que o próprio filmou, intercalados com cenas dos muitos filmes de Grant, para explorar a sua própria imagem no cinema e o que foi necessário para criá-la. O documentário revela que Grante encontrou alguma clareza sobre seus demónios pessoais através da terapia LSD.

Trabalhou em mais de 70 filmes, sendo que “Duas Feras” (1938), “O Grande Escândalo” (1940), “A Canção da Saudade” (1941), “O Vagabundo” (1944), “Ladrão de Casaca” (1955), “Intriga Internacional” (1959), “Charada” (1963), são alguns dos seus melhores desempenhos. Trabalhou com alguns dos maiores realizadores de Hollywood como Alfred Hitchcock, Howard Hawks, Joseph L. Mankiewicz, Stanley Donan, George StevensClifford Odets.

“Becoming Cary Grant” estreou também recentemente no Festival Internacional de Cinema de Edimburgo e ainda não se sabe se irá estrear em Portugal.