Terminou à instantes a cerimónia de entrega dos prémios da 66ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim. O documentário “Fire at Sea do italiano Gianfranco Rosi conquistou o grande prémio, o Urso de Ouro, uma co-produção italo-francesa sobre os refugiados na ilha de Lampedusa. O realizador, que venceu o Leão de Ouro em Veneza 2013 com “Sacro GRA”, retrata neste seu novo filme o quotidiano da ilha de Lampedusa, que está na linha da frente da crise migratória.

O júri atribuiu o Urso de Prata do Grande Prémio do Júri ao filme “Death in Sarajevo” de Danis Tanovic e o prémio de Melhor Realizador à francesa Mia Hansen-Love, pelo filme “Things to Come”.

Num ano atípico para o cinema português, em que oito filmes o representaram, a produção “Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles, venceu o Urso de Ouro para Melhor curta-metragem. Esta é a segunda curta de Leonor Teles, depois de “Rhoma Acans”, continuando deste modo a tratar o tema da comunidade cigana, desta vez sobre os comportamentos xenófobos a ciganos em Portugal, através da figura de sapos de cerâmica. Trata-se de um documentário de onze minutos produzido pela Uma Pedra no Sapato, que de acordo com a realizadora nasce da revelação da “tradição portuguesa de colocar sapos de loiça à entrada de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais para afastar e impedir a frequência de pessoas ciganas.”. Leonor Teles é assim a mais jovem realizadora de sempre a receber um Urso de Ouro para melhor curta metragem no Festival de Berlim.

Em 2012, o realizador português João Salaviza foi também distinguido com o Urso de Ouro de Berlim, por “Rafa”.

 

Urso de Ouro

Fire at Sea, de Gianfranco Rosi (Itália)

Urso de Prata – Grande Prémio do Júri

Death in Sarajevo, de Danis Tanovic (França/Bósnia e Herzegovina)

Urso de Prata – Prémio Alfred Bauer

A Lullaby to The Sorrowful Mystery, de Lav Diaz (Filipinas)

Urso de Prata – Melhor Realizador

Mia Hansen-Løve, por Things to Come (França)

Urso de Prata – Melhor Atriz

Trine Dyrholm, em The Commune (Dinamarca/Suécia))

Urso de Prata – Melhor Ator

Majd Mastoura, em Hedi (Tunisia)

Urso de Prata – Melhor Argumento

United States of Love, de Tomasz Wasilewski (Polónia)

Urso de Prata – Melhor Contribuição Artística

Crosscurrent, de Mark Lee Ping-Bing (China)

Melhor Primeiro Filme

Hedi, de Mohamed Ben Attia (Tunisia)

 

Urso de Ouro – Melhor Curta-Metragem

Balada de um Batráquio, de Leonor Teles (Portugal)

Urso de Prata – Melhor Curta-Metragem

A Man Returned, de Mahdi Fleifel (Reino Unido/Dinamarca/Holanda)

Prémio Audi para Melhor Curta

Anchorage Prohibited, de Chiang Wei Liang (Taiwan)

Prémio European Film Awards 2016

A Man Returned, de Mahdi Fleifel (Reino Unido/Dinamarca/Holanda)

 

Prémios do Júri Ecuménico

Prémio Competição

Fuocoammare, de Gianfranco Rosi (Itália)

Prémio Panorama

Les Premiers, les Derniers, de Bouli Lanners (França)

Prémio Forum

Batakah Yoqabil Barakah, de Mahmoud Sabbagh

Les Sauteurs, de Abou Bakar Sidibé, Estephan Wagner e Moritz Siebert

 

Prémios do Júri FIPRESCI

Prémio Competição

Death in Sarajevo, de Danis Tanovic (França/Bósnia e Herzegovina)

Prémio Panorama

Aloys, de Tobias Nölle

Prémio Forum

The Revolution Won’t Be Televised, de Rama Thiaw