sala-de-cinema-icaro-viseu

Box Office Português 2019

Segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) sobre o mercado cinematográfico em Portugal de 2019, os portugueses voltaram a ir mais ao cinema, com mais espectadores e mais receita bruta.

O número de espectadores nas salas de cinema foi de 15,5 milhões (um aumento de 5%, ou seja, cerca de mais 740 mil espectadores do que em relação ao ano transato) e a receita bruta de bilheteira foi de 83,1 milhões de euros (representando um aumento de 5,6%, ou seja, mais 4,4 milhões do que o registado em 2018).

Em 2019 foram estreadas 391 longas-metragens, 132 das quais com origem nos EUA e 183 de origem europeia. Os filmes norte-americanos foram vistos por 74,8% e os europeus por 12,1% do total de espectadores.

Em 2018, os números registados tinham sido de 14,7 milhões de espectadores e uma receita bruta de 78,6 milhões de euros. Em 2019, os meses de abril a outubro registaram um aumento de espectadores nas salas de cinema portuguesas, tendo os restantes estado abaixo dos números de 2018.

Abril foi o melhor mês do ano, tendo 1,5 milhões de espectadores ido ao cinema e  registado um lucro de 8,2 milhões de euros. A estreia dos filmes “Vingadores: EndgameeDumbo fizeram com que as salas de cinema portuguesas registassem em abril um aumento de mais de 30% em espectadores e receitas de bilheteira, comparando com abril de 2018.

A justificar esta maior afluência aos cinemas em 2019 está a prestação de filmes como o remake do clássico de animação de 1994 da Disney“O Rei Leão”, que foi o mais visto em 2019, registando mais de 1,28 milhões de espectadores e uma receita bruta de 6,98 milhões de euros. “Joker” foi o  segundo filme mais visto do ano, por 899 mil espectadores. Seguem-se “Vingadores: Endgame(com 670,551 espectadores), “Frozen II – O Reino do Gelo” (com 576,809 espectadores), “Toy Story 4” (com 400,003 espectadores), “Homem-Aranha: Longe de Casa” (com 334,602 espectadores), “Dumbo” (com 295,384 espectadores), “Aladdin” (com 293,534 espectadores), “Capitão Marvel” (com 287,852 espectadores) e “Era Uma Vez em… Hollywood” (com 281,256 espectadores), que ocupam o top 10 dos mais vistos do ano. Ou seja, em dez, oito são propriedade da Disney, tendo em conta que a Marvel e a Pixar são da Walt Disney Company.

“O Rei Leão” (2019) passou a ser o filme mais visto de sempre em Portugal, destronando “Avatar” (2009), que durante dez anos foi o recordista de espectadores nas salas portuguesas, com 1.207.749 espectadores. A partir de agora o filme de James Cameron passa para segundo lugar no ranking dos filmes mais vistos entre 2004 e 2019, em Portugal. Seguem-se na lista “Mínimos” (2015) com 939,693 espectadores, “Mamma Mia!” (2008) com 851,681 espectadores e “Velocidade Furiosa 7” (2015) com 832,936 espectadores.

No ranking dos filmes nacionais mais vistos, encontra-se em primeiro lugar “Variações”, de João Maia, com 278,459 espectadores, em segundo “SNU”, de Patrícia Sequeira, com 82,975 espectadores, em terceiro “A Herdade”, de Tiago Guedes, com 74,327 espectadores. “Tiro e Queda” (43,975 espectadores), “Tony” (40,388 espectadores), “Ladrões de Tuta e Meia” (26,015 espectadores), ocupam o quarto, quinto e sexto lugares respectivamente.

De realçar que no ano de 2019 a quota de cinema português, no que aos espectadores diz respeito, alcançou um valor de 4,5%, um dos mais elevados desde 1975, ano a partir do qual o ICA iniciou os registos de exibição.

Segundo o ICA, no ano de 2019 foram produzidas 66 obras cinematográficas nacionais com o apoio financeiro do ICA, das quais 37 longas-metragens (22 de ficção e 15 documentários) e 29 curtas-metragens (17 de ficção, 9 de animação e 3 documentários), verificando-se, em relação ao ano anterior, menos 6 obras produzidas, ou seja, um decréscimo de 8,3%.

Das obras portuguesas premiadas em 2019 destaca-se “Vitalina Varela”, de Pedro Costa, que conquistou o Leopardo de Ouro de Melhor Filme e do Leopardo de Prata para Melhor Atriz no Festival de Locarno. Assim como “Agouro”, de David Doutel e Vasco Sá, venceu o Grande Prémio da Competição Internacional no Busan International Film Festival, e “Tio Tomás e a Contabilidade dos Dias”, de Regina Pessoa,  venceu o Grande Prémio Anima Mundi, no Festival Internacional de Animação do Brasil.

Número de espectadores em salas de cinema portuguesas / Receita bruta (2011-2019):
2011 – 15,7 milhões / 79,9 milhões de euros
2012 – 13,8 milhões / 73,9 milhões de euros
2013 – 12,5 milhões / 65,5 milhões de euros
2014 – 12,1 milhões / 62,7 milhões de euros
2015 – 14,5 milhões / 74,9 milhões de euros
2016 – 14,9 milhões / 76,7 milhões de euros
2017 – 15,6 milhões / 81,6 milhões de euros
2018 – 14,7 milhões / 78,6 milhões de euros
2019 – 15,5 milhões / 83,1 milhões de euros