O que tem de mais extraordinário este filme é o facto de as filmagens terem durado cerca de 12 anos, ou seja, o realizador Richard Linklater, filmou durante doze anos o mesmo elenco, o que nos permite acompanhar o crescimento de todos. São imagens quase reais que acompanham em tempo real a vida de Mason (Ellar Coltrane) desde a sua infância  (dos 6 anos) até à sua adolescência (aos 18 anos). O filme resulta numa colagem de “grandes momentos”, os bons e os maus momentos de uma vida, a de Mason, a da sua irmã mais velha (Lorelei Linklater), a da sua mãe lutadora (Patricia Arquette) e a do seu pai ausente (Ethan Hawke).

A narrativa está construída de uma forma muito natural e simples, o que nos cria uma experiência ainda mais realista da vida de Mason. O uso de elementos como o avanço da tecnologia, o vestuário, episódios políticos, a cultura, etc., funcionam muito bem como referências à época em que decorrem os momentos e funcionam para percebemos a forma como o tempo passa de uma cena para outra. “Boyhood” retrata a imagem de uma determinada geração que tem agora a mesma idade que Mason.

Visto as rodagens terem decorrido durante doze anos, está muito bem conseguida, da forma mais natural, o envelhecimento das personagens, quer nos adultos, quer nas crianças. São transformações naturais nos seus corpos e não artifícios da maquilhagem. Este simples pormenor permite que os atores falem do envelhecimento através dos seus próprios corpos.

O primeiro beijo, a namorada, a separação dos pais, a mudança de casa, a nova escola, novos amigos, as brigas com colegas, as saídas à noite, as festas, o primeiro cigarro e a primeira bebida alcoólica, o trabalhar nas férias para ir para uma boa faculdade e finalmente, entrar na faculdade que queríamos e fazer novas amizades. É sempre um ciclo de aprendizagem, de experiências e de aventuras. São estes os principais momentos da vida, os que mais nos marcam claro. Depois de crescidos, esta é uma viagem sem regresso.

É um daqueles filmes que vai certamente marcar muita gente, por abordar questões tão universais e como a própria vida, e a forma como crescemos e como a vivemos. É  impossível o público não se identificar com nenhuma das personagens ou com os momentos da vida ficcionados aqui apresentados. Há sempre algum momento ou elemento que nos remete para a nossa infância. É como se tivéssemos um flashback do nosso passado durante doze anos, o que nos faz pensar na importância da família e dos amigos. No fundo, de todos aqueles que nos rodeiam, pois são eles que nos formam, que nos moldam, que estão presentes nos bons e maus momentos da vida.

Mesmo que por vezes o filme recorra a certos clichés da vida (o que é inevitável), percebemos em quase três horas de filme, que a vida passa num instante e só temos uma oportunidade. De certa forma é uma lição de vida, pelo que o visionamento deste filme deverá ser obrigatório, pelo menos uma vez. Delicada realização e magnifico elenco deste que é um dos melhores filmes do ano.

Realização: Richard Linklater

Argumento: Richard Linklater

Elenco: Ellar ColtraneElijah Smith, Patricia Arquette, Ethan Hawke, Lorelei Linklater

EUA/2014 – Drama

Sinopse: O filme acompanha Mason (Ellar Coltrane), de 6 anos, ao longo da década mais impactante da sua vida, pelo meio de um turbilhão de mudanças, controvérsias familiares, casamentos instáveis, segundos casamentos, novas escolas, primeiros amores e amores perdidos, tempos memoráveis e tempos assustadores e uma constante miscelânea de desgostos e deslumbres. Mason emerge para seguir o seu caminho.

«Boyhood: Momentos de Uma Vida» - Uma viagem nostálgica
4.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos