Depois da revista inglesa Sight & Sound ter revelado a sua lista dos melhores filmes do ano, os críticos de cinema da conceituada revista francesa Cahiers du Cinéma também divulgaram a sua lista dos 10 melhores filmes de 2015. “Minha Mãe” a nova obra do cineasta italiano Nanni Moretti foi para os críticos da Cahiers o melhor filme do ano. Um filme motivado pelo falecimento da mãe de Moretti que carrega sentimentos de solidão e depressão, um luto dos filhos. Apresentado no Festival de Cannes 2015, foi na altura aplaudido pelo público, mas passou despercebido pela crítica.

Em segundo lugar ficou “Cemetery of Splendor” do tailandês Apichatpong Weerasethakul e na terceira posição encontra-se “In the Shadow of Women”, do francês Philippe Garrel. Ambos não estrearam ainda nas salas de cinema em Portugal.

Mais uma vez, a trilogia de Miguel Gomes, “As Mil e Uma Noites”, um dos filmes portugueses mais surpreendentes de 2015, torna a integrar uma lista de conceituados críticos de cinema, ocupando a oitava posição no Top 10 2015 da Cahiers du Cinéma.

“The Smell of Us”, de Larry Clark, e “Mad Max: Estrada da Fúria”, de George A. Miller, são as principais surpresas a constar nesta lista.

 

1. Minha Mãe (Mia Madre), de Nanni Moretti (Itália)

2. Cemetery of Splendor, de Apichatpong Weerasethakul (Tailândia)

3. In the Shadow of Women, de Philippe Garrel (França)

4. The Smell of Us, de Larry Clark (França)

5. Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max Fury Road), de George A. Miller (EUA)

6. Jauja, de Lisandro Alonso (Argentina)

7. Vício Intrínseco (Inherent Vice), de Paul Thomas Anderson (EUA)

8. As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes (Portugal)

9. The Summer of Sangaile, de Alante Kavaite (Lituânia)

10. Journey to the Shore, de Kiyoshi Kurosawa (Japão)

 

Para comparar aqui fica a lista Cahiers Top 10 2014:

1. O Pequeno Quinquin (P’tit Quinquin), de Bruno Dumont (França)

2. Adeus à Linguagem (Adieu au Langage), de Jean-Luc Godard (França)

3. Debaixo da Pele (Under the Skin), de Jonathan Glazer (Reino Unido)

4. Maps to the Stars, de David Cronenberg (Canadá)

5. As Asas do Vento (Kaze Tachinu), de Hayao Miyazaki (Japão)

6. Nymphomaniac, de Lars von Trier (Dinamarca)

7. Mamã (Mommy), de Xavier Dolan (Canadá)

8. Love is Strange, de Ira Sachs (EUA)

9. Le Paradis, de Alain Cavalier (França)

10. U Ri Sunhi, de Hong Sang-soo (Coreia do Sul)