A organização do Festival Caminhos do Cinema Português, o único fes­ti­val que se dedica exclu­si­va­mente ao cinema português, revelou a sua seleção oficial de filmes para a 24.ª edição, que irá decorrer de 23 de novembro a 1 de dezembro, no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra.

“As Fusões no Cinema, em São João da Madeira,  são o mote para o arranque do festival. No dia 24, no TAGV, tem início a competição cinematográfica da “Seleção Caminhos”, que integra registos que vão do documental, “O Turno do Dia” (Pedro Florêncio), que passam pelo cinema fantástico e terminando nos “Caminhos Magnéticos” (Edgar Pêra).”

Na seleção Caminhos, a 24.ª edição conta com mais de 20 longas e mais de 40 curtas, entre as quais se encontram filmes de ficção, documentário e animação. Destacamos filmes como “Drvo – A Árvore”, de André Gil Mata, “Até que o Porno nos Separe”, de Jorge Pelicano“Pedro e Inês”, de António Ferreira, “Terra Franca”, de Leonor Teles, “Aparição”, de Fernando Vendrell, “Cabaret Maxime”, de Bruno de Almeida, “Agouro”, de David Doutel e Vasco Sá, “Russa”, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr.

O júri da Seleção Caminhos, responsável por atribuir o Grande Prémio do Festival, Melhor Longa e Curta-Metragem, Melhor Animação, Melhor Documentário, Prémio Revelação e ainda catorze prémios técnicos, é composto por Catarina Alves Costa, Nuno Garcia, Fátima Lacerda, Joana Pais de Brito, Tomás Baltazar, Marco Martins, Vasco Câmara, Nuno Gonçalves e Ricardo Esteves.

“Uma das grandes novidades do festival é a nova seleção paralela – “Outros Olhares”. É caracterizada por filmes de caráter ensaístico e experimental. São produções que não se cingem ao argumento, mas que o trabalham afincadamente no domínio sensorial, estimulado pelo conjunto da imagem e do som. Os filmes, como “O Espectador Espantado” (Edgar Pêra), “Cimbalino” (Jerónimo Rocha) ou mesmo “Lupo” (Pedro Lino), ilustram uma nova vaga de cinema que está a surgir.”

A cerimónia de abertura será realizada no próximo dia 23 de novembro, pelas 21h45, no TAGV, com a estreia do novo filme do cineasta Edgar Pêra, “Caminhos Magnéticos”, um filme sobre Raymond Vachs, um fotógrafo e autor de BD francês que, a seguir ao 25 de abril de 1974, casou com uma portuguesa e se radicou em Lisboa. O filme é protagonizado por Dominique Pinon (que estará presente na cerimónia), Albano Jerónimo, Paulo Pires e Ney Matogrosso. O filme será acompanhado pela curta-metragem “Como Fernando Pessoa salvou Portugal”, de Eugène Green.

Seleção Caminhos

Longas-Metragens – Ficção
Drvo – A Árvore
, de André Gil Mata
Praça Paris, de Lucia Murat
Amantes na Fronteira, de Atsushi Funahashi
Aparição, de Fernando Vendrell
Cabaret Maxime, de Bruno de Almeida
Caminhos Magnéticos, de Edgar Pêra
Carga, de Bruno Gascon
Leviano, de Justin Amorim
Mariphasa, de Sandro Aguilar
Os Dois Irmãos, de Francisco Manso
Pedro e Inês, de António Ferreira
Peregrinação, de João Botelho
Soldado Milhões, de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa

Curtas-Metragens – Ficção
3 Anos Depois, de Marco Amaral
20-02-80, de Jerónimo Rocha
Anjo, de Miguel Nunes
Anteu, de João Vladimiro
Aquaparque, de Ana Moreira
California, de Nuno Baltazar
Calipso, de Paulo A. M. Oliveira
Como Fernando Pessoa Salvou Portugal, de Eugène Green
O Coração Revelador, de São José Correia
Descobrindo a Variável Perfeita, de Rafael Almeida
Equinócio, de Ivo M. Ferreira
A Estranha Casa na Bruma, de Guilherme Daniel
Filomena, de Pedro Cabeleira
Inversão, de Miguel Ângelo
Letters from Childhood, de José Magro
Luana, de Pedro Magano
Maria, de Catarina Neves Ricci
Nevoeiro, de Daniel Veloso
Por Tua Testemunha, de João Pupo
Pródigo, de João Lourenço
O Quadro, de Paulo Araújo
Quando Pudermos, de Miguel Cardoso Faria
Quantas Vezes Tem Sonhado Comigo?, de Júlia Buisel
Russa, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr.
O Segredo da Casa Fechada, de Teresa Garcia
Segunda-Feira, de Sebastião Salgado
Self-Destructive Boys, de André Santos e Marco Leão
Sombra Luminosa, de Francisco Queimadela e Mariana Caló
Terra Amarela, de Dinis M. Costa

Longas-Metragens – Documentário
Até que o Porno nos Separe, de Jorge Pelicano
A Casa, de Rui Simões
À Tarde, de Pedro Florêncio
Bostofrio, où le Ciel Rejoint la Terre, de Paulo Carneiro
O Canto do Ossobó, de Silas Tiny
O Homem-Pykante, de Edgar Pêra
Terra Franca, de Leonor Teles
Turno do Dia, de Pedro Florêncio

Curtas-Metragens – Documentário
Madness, de João Viana
Os Mortos, de Gonçalo Robalo
Pele de Luz, de André Guiomar

Curtas-Metragens – Animação
28 de Outubro, de Tiago Albuquerque
Agouro, de David Doutel e Vasco Sá
Desempregato, de Sara Marques
Ensaio sobre a Morte, de Margarida Madeira
Entre o Verão e o Outono, de Maria Francisca Pinto
Entre Sombras, de Mónica Santos e Alice Guimarães
Porque é Este o Meu Ofício, de Paulo Monteiro
Razão Entre Dois Volumes, de Catarina Sobral

Secção Outros Olhares
Antes que a noite venha – Falas de Antígona, de Joaquim Pavão
Mother’s day, de Rita Figueira
Maria Sem Pecado, de Mário Macedo
Tempo Comum, de Susana Nobre
The Art of Losing, de Cristina Ferreira Gomes
My hands are Never Empty, de Miguel Munhá
Exposição, de Luís Azevedo
Histórias de Fantasmas, de Carlos Pereira
Lupo, de Pedro Lino
Orquidea, de Sandy Lorente
Sousa Martins, de Justine Lemahieu
Orson Welles, de Luís Azevedo
O Espectador Espantado, de Edgar Pêra
Inside Hou8e, de Margarida R. Nuno
Fernando Lemos, de Rita Lopes Alves
Os Maiores da Minha Rua, de Gabriel Coelho
Pe San Le, de Rousa Coutinho Cabral

Fonte: Caminhos do Cinema Português