o-fim-do-mundo-Basil-da-Cunha-2020-2

Caminhos do Cinema Português 2020: Vencedores

“O Fim do Mundo”, do do luso-suíço Basil da Cunha, venceu o Grande Prémio do Festival Caminhos do Cinema Português, que revelou hoje os vencedores da 26.ª edição.

Nas palavras dos próprios jurados, “o tempo, o imaginário e um elenco generoso” convergem no grande ecrã, construindo “um universo emocionalmente duro, mas que acompanha o espectador numa reflexão que se prolonga para lá dos créditos finais”. “O Fim do Mundo” arrecadou ainda o Prémio D. Quijote, atribuído pelo Júri da Federação Internacional de Cineclubes.

“A familiaridade do cineasta com a comunidade de Reboleira, adquirida ao viver e trabalhar com eles durante uma década, é evidente nesta longa-metragem que revela um trabalho consistente, expresso pela empatia na relação com actores não-profissionais que se traduz em desempenhos notáveis. Os grandes planos transmitem-nos os pensamentos e sentimentos das personagens, o que dispensa muitas vezes os diálogos, quase sempre em criolo. A câmara à mão, seguindo o seu protagonista através do bairro, cria uma atmosfera de cerco, de claustrofobia, amparada pela luz alaranjada das ruas que  confere às sequências noturnas um quotidiano inquieto. Uma produção realizada de forma colaborativa e hábil, de um autor que com este filme cimenta um lugar de eleição na produção portuguesa, e que merece reconhecimento dentro e fora de portas”

“Listen”, o candidato português aos Óscares, de Ana Rocha de Sousa, o mais premiado, ao conquistar o Prémio do Público, Melhor Realizador, Melhor Atriz (Lúcia Moniz) e Melhor Ator Secundário (Ruben Garcia).

O mote “cinema português para todos” abre espaço à celebração de diferentes linguagens, estilos e géneros cinematográficos. “Maré”, de Joana Rosa Bragança, “Nheengatu”, de José Barahona, e “Patrick”, de Gonçalo Waddington, foram eleitos, respetivamente, Melhor Animação, Melhor Documentário e Melhor Ficção.

Na secção das Curtas-Metragens, o Prémio de Melhor Filme foi para “Bustarenga”, de Ana Maria Gomes, o Prémio Revelação foi para “Moço”, de Bernardo Lopes. O documentário “Amor Fati”, de Cláudia Varejão, foi agraciado com o Prémio de Imprensa CISION.

Na Seleção Ensaios, “Copacabana Madureira”, de Leonardo Martinelli, foi eleito Melhor Ensaio Internacional, “O Presidente Veste Nada”, de Clara Borges e Diana Agar, mereceu o título de Melhor Ensaio Nacional de Animação e “Corte”, de Afonso Rapazote e Bernardo Rapazote, o de Melhor Ensaio Nacional.

Vencedores

Seleção Caminhos

Prémio do Público – Chama Amarela
Listen (Ana Rocha)

Prémios Oficiais

Grande Prémio do Festival – Turismo do Centro
O Fim do Mundo (Basil da Cunha)

Prémio Melhor Ficção – Cidade de Coimbra
Patrick (Gonçalo Waddington)

Prémio Melhor Curta-Metragem – União de Freguesias de Coimbra
Bustarenga (Ana Maria Gomes)

Prémio Melhor Documentário – Universidade de Coimbra
Nheengatu (José Barahona)

Prémio Melhor Animação
Maré (Joana Rosa Bragança)

Prémio Revelação
Moço (Bernardo Lopes)

Prémios Técnico-Artísticos

Melhor Ator
Hugo Fernandes, em Patrick (Gonçalo Waddington)

Melhor Ator Secundário
Ruben Garcia, em Listen (Ana Rocha)

Melhor Atriz
Lúcia Moniz, em Listen (Ana Rocha)

Melhor Atriz Secundária
Carla Galvão, em O Cordeiro de Deus (David Pinheiro Vicente)

Melhor Argumento Adaptado
Pedro Brito, em Assim mas sem ser assim (Pedro Brito)

Melhor Argumento Original
Pedro Peralta, em Noite Perpétua (Pedro Peralta)

Melhor Banda Sonora Original
Philippe Lenzini, em Mesa (João Fazenda)

Melhor Caracterização
Júlio Alves, em O Cordeiro de Deus (David Pinheiro Vicente)

Melhor Cartaz
João Fazenda, em Mesa (João Fazenda)

Melhor Direção Artística
Nádia Henriques, em Patrick (Gonçalo Waddington)

Melhor Fotografia
João Ribeiro, em Noite Perpétua (Pedro Peralta)

Melhor Guarda-Roupa
Susana Abreu, em Surdina (Rodrigo Areias)

Melhor Montagem
João Braz e Cláudia Varejão, em Amor Fati (Cláudia Varejão)

Melhor Realizador
Ana Rocha, em Listen (Ana Rocha)

Melhor Som
Cláudia Varejão, Takashi Sugimoto, Adriana Bolito, Elsa Mendes e Hugo Leitão, em Amor Fati (Cláudia Varejão)

Prémio de Imprensa CISION
Amor Fati (Cláudia Varejão)

Menção Honrosa do Júri de Imprensa CISION
Armour (Sandro Aguilar)

Prémio D. Quijote da Federação Internacional de Cineclubes
O Fim do Mundo (Basil da Cunha)

Menção Honrosa do Júri da Federação Internacional de Cineclubes
Catavento (João Rosas)

Seleção Ensaios

Prémio da Federação Portuguesa de Cineclubes para Melhor Ensaio Internacional
Copacabana Madureira (Leonardo Martinelli)

Menção Honrosa do Júri para Ensaio Internacional
Lascas (Natália Azevedo Andrade)

Prémio da Federação Portuguesa de Cineclubes para Melhor Ensaio Nacional de Animação
O Presidente Veste Nada (Clara Borges e Diana Agar)

Menção Honrosa do Júri para Ensaio Nacional de Animação
Embers (Adriano Palha)

Prémio da Federação Portuguesa de Cineclubes para Melhor Ensaio Nacional
Corte (Afonso e Bernardo Rapazote)

Menção Honrosa do Júri para Ensaio Nacional
Água e Sal (Luisa Mello)

Seleção Outros Olhares

Melhor Filme – Galerias Avenida
SOA (Raquel Castro)

Menção Honrosa Melhor Filme
Anticorpo (André Martins)

Fonte: Caminhos

Skip to content