Cannes 2012: Dia 2

No segundo dia de Cannes destacou-se em grande o filme “De rouille et d’os” (“Rust and Bone”) do francês Jacques Audiard, que surge pela terceira vez na competição do Festival de Cannes. O seu sexto filme é uma adaptação totalmente livre de dois contos de Craig Davidson, onde a violência o drama e a dor são o centro de uma relação entre uma treinadora de baleias do Marineland (Marion Cotillard) e um pugilista lesionado (Matthias Schoenaerts). Um filme melodramático que promete comover todos. Segundo a Variety o filme é “Uma delicada e, mesmo assim, pesada história de amor des-romantizada, Rust & Bone funciona como um impressionante exercício de contrastes.”. É um forte candidato à Palma de Ouro e a atriz Marion Cotillard poderá levar um prémio.

 

Também na secção competitiva estreou o filme “Baad el Mawkeaa” (“After the Battle”), do cineasta egipcío Yousry Nasrallah, que tem pela primeira vez em Cannes um filme seu em competição. É um filme, com um forte peso político, sobre a revolução egípcia que esclarece sob uma nova óptica o ataque dos cavaleiros e dos cameleiros, na praça Tahrir em 2 de fevereiro de 2011, numa obra romanesca. A crítica não se rendeu ao filme, pelo que provavelmente não terá qualquer hipotese de ganhar algum prémio.

 

O realizador chinês Ye Lou, que foi proibido de filmar durante 5 anos, abriu a secção Un Certain Regard com o filme “Mystery”, onde volta aos acontecimentos da praça de Pequim através da relação amorosa de dois estudantes. A crítica de modo geral gostou da realização de Ye Lou e das protagonistas.