A organização da 71ª edição do Festival de Cannes divulgou recentemente algumas novidades, a começar pela data do evento, que este ano começa pela primeira vez a uma terça-feira (8 de maio) e termina a um sábado (19 de maio). Tradicionalmente o festival começava sempre às quartas-feiras. Esta mudança do dia deve-se ao facto de os filmes em França estrearem nas salas de cinemas às quartas-feiras, o que permite que o filme de abertura seja uma verdadeira ante-estreia, das salas francesas no dia seguinte.

Outra das mudanças impostas pelo director do festival de Cannes, Thierry Fremaux, é que nenhuma produção original da Netflix faça parte da competição oficial este ano, a não ser que estreiem primeiro os filmes nos cinemas franceses. No ano passado os filmes da Netflix “Okja” e “The Meyerowitz Stories” estrearam na competição oficial de Cannes, tendo gerado grande contestação. Numa entrevista Variety Thierry disse que “No ano passado achei que poderia convencer a Netflix, mas eles recusaram-se (a exibir os filmes nos cinemas). É o modelo económico deles e eu respeito, mas o nosso foco é cinema e queremos que os filmes que estão em competição sejam lançados. Este é o modelo dos apaixonados por filmes e a Netflix deve respeitar.”. Acrescentou ainda que “Dito isto, a Netflix é bem-vinda em Cannes fora da competição oficial e da Un certain regard. Encontrámos-nos recentemente em Paris, o diálogo continua e tenho certeza que será produtivo. Eles querem muito voltar e nós também queremos que eles voltem.”.

Foi também reorganizado o modelo de projecções para a imprensa. A partir deste ano os jornalistas só podem ver os filmes e escrever sobre os mesmos, ao mesmo tempo que os espectadores, ou depois. Ou seja, só depois das projecções de gala (sessões para convidados). Antigamente a imprensa via primeiro os filmes antes da gala. “Esta medida não é contra os críticos, mas em favor das noites de gala. É claro que os jornalistas poderão escrever as suas críticas imediatamente, e não dois dias depois, já que as críticas deles serão publicadas na web.”, disse Thierry

Na secção de Clássicos do festival francês vai ser celebrado o 50º aniversário da obra prima de Stanley Kubrick “2001: Odisseia no Espaço” (1968). Esta será uma estreia mundial com uma cópia não restaurada de 70mm do épico de ficção científica. A sessão acontece a 12 de maio de 2018 e será apresentada pelo cineasta Christopher Nolan, que estará presente no Festival pela primeira vez. A exibição também contará com a presença de membros da família de Stanley Kubrick, incluindo sua filha Katharina Kubrick e o parceiro de produção de Stanley, Jan Harlan. Thierry Fremaux disse: “Stanley Kubrick na Seleção Oficial! É uma grande honra para o Festival de Cannes sediar a celebração do 50º aniversário de um dos filmes mais extraordinários da história do cinema.”.

“Colo”, de Teresa Villaverde, “Terra Franca”, a primeira longa-metragem de Leonor Teles, e “Verão Danado”, a primeira longa-metragem de Pedro Cabeleira, são os três filmes portugueses convidados para fazerem parte de uma secção paralela do Festival de Cannes de 2018, a secção ACID – Association du Cinéma Indépendant pour sa Diffusion. O ACID TRIP é um programa paralelo em Cannes que surgiu em 2017, tendo nesse ano sido dedicado à Sérvia. Este ano é a vez da APR (Associação Portuguesa de Diretores) oferecer três sessões, com a presença dos cineastas, durante o primeiro fim de semana do Festival de Cannes 2018, para honrar o cinema português contemporâneo.

A atriz australiana Cate Blanchett irá ser o Presidente do Júri da 71ª edição do Festival de Cannes.