A organização do Festival de Cannes anunciou hoje que o realizador mexicano Alejandro González Iñárritu irá ser o Presidente do Júri da 72.ª edição do Festival de Cannes, que se realizará entre os dias 14 e 25 de maio.

“Cannes é um festival que tem sido importante para mim desde o inicio da minha carreira. É com emoção que aceito humildemente voltar este ano com a imensa honra de presidir o júri”, declarou Iñárritu. “O cinema corre pelas veias do planeta e este festival tem sido o seu coração. Nós, no júri, teremos o privilégio de testemunhar o novo e excelente trabalho de outros cineastas de todo o mundo. Este é um verdadeiro prazer e uma responsabilidade que vamos assumir com paixão e devoção”.

Pierre Lescure, presidente do Festival de Cannes, e Thierry Frémaux, delegado-geral, estão encantados pelo facto de o cineasta ter aceite o convite: “É muito raro Alejandro G. Iñárritu concordar em participar num júri, e esta é a primeira vez que o Júri do Festival de Cannes é presidido por um artista mexicano. Cannes abraça todos os tipos de cinema e, através da presença do realizador de ‘Babel’, é o cinema mexicano que o festival estará a celebrar.”

“Ele não é apenas um cineasta ousado e um realizador cheio de surpresas, Alejandro é também um homem de convicção, um artista da sua época. Estamos sempre felizes em recebê-lo na Croisette e, em 2017, orgulhámo-nos de apresentar “Carne y Arena” (Virtually Present, Physically Invisible) na Seleção Oficial, uma instalação de realidade virtual que abordou a questão dos imigrantes com grande força e humanidade.”

Alejandro G. Iñárritu sucede assim a Cate Blanchett, que foi presidenta do júri de Cannes 2018, que atribuiu a Palma de Ouro a “Shoplifters: Uma Família de Pequenos Ladrões”, de Kore-eda Hirokazu.

Iñárritu estreou-se no festival como realizador na secção competitiva Semana da Crítica com “Amor Cão” (2000), filme que viria a ser nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. Em 2006 regressa a Cannes com “Babel” para competir pela Palma de Ouro. Venceu o Prémio Ecuménico do Júri e o Prémio de Melhor Realizador. Quatro anos depois volta a ser nomeado para a seleção oficial por “Biutiful” (2010).

Venceu dois Óscares de Melhor Realizador por “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)” (2014) eThe Revenant: O Renascido” (2015). O cineasta já trabalhou com grandes estrelas de Hollywood como Leonardo DiCaprio, Tom Hardy, Gael García Bernal, Sean Penn, Benicio Del Toro, Naomi Watts, Brad Pitt Cate Blanchett.