Cannes 2020: Spike Lee irá presidir o júri da 73.ª edição

A organização do Festival de Cannes anunciou hoje que o realizador norte-americano Spike Lee irá ser o Presidente do Júri da 73.ª edição do Festival de Cannes, que se realizará entre os dias 12 e 23 de maio.

Lee, vencedor do Óscar de Melhor Argumento Adaptado por “BlacKkKlansman”, sente-se “honrado por ser a primeira pessoa da diáspora africana” nos Estados Unidos a assumir o cargo, num festival onde já apresentou sete dos seus filmes.

Aos 62 anos, o cineasta, que também é argumentista, ator, editor e produtor, fez vários filmes que se tornaram objetos de culto, e trouxe as questões e questões controversas da época ao cinema contemporâneo. Mas ele nunca perdeu de vista o público, tentando aumentar a conscientização sobre suas causas em filmes após filmes.

“Quando recebi a chamada a oferecer-me a oportunidade de ser presidente do júri de Cannes em 2020, fiquei chocado, feliz, surpreso e orgulhoso, tudo ao mesmo tempo. (…) Para mim, o Festival de Cinema de Cannes (além de ser o festival de cinema mais importante do mundo – sem desrespeito a ninguém) teve um grande impacto na minha carreira cinematográfica. Poderia-se dizer facilmente que Cannes mudou a trajetória de quem eu me tornei no cinema mundial. ”, declarou o realizador.

“A perspectiva de Spike Lee é mais valiosa do que nunca. Cannes é uma pátria natural e uma caixa de ressonância global para aqueles que (re)despertam mentes e questionam as nossas posições e ideias fixas. A personalidade extravagante de Lee certamente agitará as coisas. Que tipo de presidente do júri ele será? Descubra em Cannes!”, diz o comunicado oficial do Festival de Cannes, assinado por Thierry Frémaux, Delegado Geral do Festival.

Lee estreou-se em Cannes em 1986 com “Os Bons Amantes”, tendo recebido o Prémio Jovem. Voltou a Cannes em 1989 com “Não Dês Bronca” (em competição pela Palma de Ouro), em 1991 com “A Febre da Selva”, em 1999 com “Verão Escaldante”, em 2002 com “Ten Minutes Older: The Trumpet” (em competição na secção Un Certain Regard), e em 2018 com “BlacKkKlansman: O Infiltrado” (vencedor do Grande Prémio do Júri e uma menção honrosa do Prémio FIPRESCI).

“Malcolm X” (1992), “Infiltrado” (2006), “O Milagre em Sant’Anna” (2008) e “Oldboy: Velho Amigo” (2013) são alguns dos melhores filmes do realizador.

Spike Lee sucede assim a Alejandro G. Iñárritu, que foi presidente do júri de Cannes 2019, que atribuiu a Palma de Ouro a “Parasitas”, de Bong Joon-ho.