Cannes 2024: 77ª. edição contará com a estreia mundial de “Megalopolis”, aguardado filme de Francis Ford Coppola

Além da empolgação pela estreia mundial, outra grande surpresa é que o filme de Ford Coppola estará na Competição Oficial pela Palma de Ouro
1 2
Via: AFP

“Megalopolis”, o aguardado novo filme de Francis Ford Coppola, fará sua estreia mundial na 77ª. edição do Festival de Cannes, a 17 de maio.

Além da empolgação pela estreia mundial, outra grande surpresa é que o filme de Ford Coppola estará na Competição Oficial pela Palma de Ouro. A informação foi divulgada com exclusividade por Mike Fleming Jr. no Deadline.

O furo de Fleming Jr. acontece dois dias antes do anúncio da programação oficial do evento, que será divulgada nesta quinta-feira (11) por Thierry Fremaux.

A 77ª. edição do Festival de Cannes acontece de 14 a 25 de maio na França.

Regresso a Cannes

Esta será a terceira vez que Coppola competirá pelo prémio.

Ele foi vitorioso em 1974 com “O Vigiante”.

E, em 1979, com “Apocalypse Now”.

Megalopolis

A trama do filme segue César (Adam Driver), um arquiteto visionário determinado a reconstruir Nova York como uma utopia após um desastre devastador. Ele enfrenta o prefeito, interpretado por Giancarlo Esposito, e em um toque shakespeariano, se apaixona pela filha de seu rival, Julia (Nathalie Emmanuel). As duas famílias são rivais e têm visões contrastantes sobre o futuro de Nova York.

Além de Driver, Emmanuel e Esposito, o filme apresenta um elenco estelar que inclui Jon Voight, Laurence Fishburne, Aubrey Plaza, Dustin Hoffman, Shia LaBeouf, Jason Schwartzman, Chloe Fineman, Isabelle Kusman, DB Sweerney, Bailey Ives e Talia Shire.

Investimento pessoal

O filme, cuja concepção remonta a 1983, demandou um investimento considerável de cerca de US$ 120 milhões.

Para assegurar parte desses recursos, Coppola decidiu vender uma parte de suas vinícolas no condado de Sonoma para a Delicato Family Wines. O acordo, reportado por Jeff Quackenbush no North Bay Business Journal em 2021, foi avaliado em mais de US$ 500 milhões.

Quackenbush detalha que o acordo envolveu as marcas Francis Ford Coppola Winery e Virginia Dare Winery, juntamente com suas instalações, além do vinhedo Archimedes. Como parte do negócio, Coppola adquiriria uma participação na Delicato e assumiria um assento no conselho.

Distribuição

Conforme apurado por Seth Abramovitch, Kim Masters e Pamela Mcclintock, do The Hollywood Reporter, Ford Coppola ainda está em processo de negociação para assegurar um parceiro de distribuição para o filme, programado para ser lançado no outono, com foco especial nas salas de cinema IMAX. Entretanto, alguns distribuidores enfrentaram desafios ao tentar elaborar uma estratégia de marketing apropriada para o filme.

Fora isso, é sabido que o realizador só está inclinado a conceder os direitos de distribuição do filme a uma empresa que assegure uma ampla divulgação em IMAX, junto a um orçamento de aproximadamente US$ 100 milhões para fins de marketing.

Os principais distribuidores estão ponderando retirar seus recursos do projeto caso Coppola não demonstre maior flexibilidade em relação às suas condições.

Além disso, entre as opiniões dos que já assistiram, há um consenso de que este é um projeto extremamente desafiador de ser comercializado para um grande público. Algumas pessoas mencionam a dificuldade em distinguir quem é o herói e quem é o vilão.

Quem tem interesse e quem saiu da disputa?

A equipe do The Hollywood Reporter descobriu que a produção certamente desperta interesse de distribuidoras como A24 e NEON. Todavia, as fontes do THR consideram improvável que essas empresas consigam atender às exigências financeiras de Coppola.

Por outro lado, foi confirmado que a Universal Pictures e a Focus Features já não estão mais na corrida. Muitos consideram que a Searchlight Pictures é a melhor aposta para Coppola, especialmente por ser uma distribuidora associada à Disney.

A resposta está no streaming?

Os envolvidos no projeto reconhecem que Coppola só encontrará uma solução mais viável se concordar em vender os direitos de distribuição para uma plataforma de streaming ou se arcar com parte dos custos de marketing por conta própria, como já fez para financiar a produção do filme.

Por enquanto, um lançamento direto em streaming não está sendo considerado.

Skip to content