"Cavalo Dinheiro" (2014)_2

A Midas Filmes anunciou recentemente a distribuição do mais recente trabalho de Pedro Costa, “Cavalo Dinheiro”, nos cinemas nacionais: Cinema Ideal (Lisboa), Corte Inglés (Lisboa), Arrábida (Porto) e Dolce Vita Tejo (Amadora). O filme tem estreias comerciais confirmadas nos cinemas nos Estados Unidos, Inglaterra, França, Bélgica e Japão.

“Cavalo Dinheiro” teve a sua estreia mundial na 67ª edição do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, onde o cineasta português foi galardoado com o Prémio de Melhor Realizador e o prémio da Federação Internacional de Cineclubes. Depois disso a sua obra tem feito digressão por diversos festivais internacionais entre os quais: Locarno, Rio de Janeiro, Toronto, Nova Iorque, Valdivia, Londres, Viena, Mar del Plata, e Copenhaga. Em 2015, o filme continuará a sua digressão pelos festivais internacionais, e será apresentado, entre outros, nos festivais de Roterdão, Sarajevo, Munique, Melbourne, Buenos Aires e Miami. Em abril, Costa será alvo de uma retrospectiva no Lincoln Center em Nova Iorque, acompanhado a estreia americana de Cavalo Dinheiro.

Em “Cavalo Dinheiro”, Costa regressa à personagem Ventura e ao universo das Fontainhas, depois de “Ossos”, “No quarto de Vanda” e “Juventude em marcha”. “Enquanto os jovens capitães fazem a revolução nas ruas, o povo das Fontainhas procura o seu Ventura que se perdeu no bosque”. “Um bairro prospera. Um bairro morre. Um bairro não é mais, é apenas uma memória. Este é o percurso das Fontainhas ao longo de quatro longas e três curtas-metragens de Pedro Costa. (…) No último filme, Cavalo Dinheiro, Ventura o fantasma regressa, mas as Fontainhas, como espaço real, já não existem. Estão cheias de habitação social. Quando não há para onde ir, as memórias tomam o lugar. O filme decorre numa paisagem imaginária, parte passado, parte presente, toda espaço mental”, escreve a Indiewire.

"Cavalo Dinheiro" (2014)_cartaz