Centenário de Cantinflas

Cantinflas, conhecido como o Chaplin da América Latina, celebra hoje 100 anos que nasceu!

 

No México celebra-se o centenário do nascimento de Cantinflas, que começou a semana passada com a apresentação de um livro comemorativo e uma exposição de cartazes de filmes e fotos dos seus melhores momentos no cinema. O livro “Mario Moreno ‘Cantinflas’: o ator, o toureiro, o empresário, o homem”, foi apresentado no palácio de Belas Artes, no México, pela fundação que recebeu o nome do cómico, considerado o Charles Chaplin da América Latina, e contemplado com o Globo de Ouro para melhor ator em 1957, pelo seu papel em “A Volta ao Mundo em 80 dias”.

 

Outras homenagens têm sido realizadas em Agosto para comemorar a data de aniversário de Moreno, entre elas, a divulgação de uma seleção dos seus mais de 50 filmes, a serem apresentados no canal estatal de televisão e na Cinemateca Nacional, assim como uma conferência sobre sua influência no desenvolvimento da comédia e do cinema latino-americano.

 

“Ao contrário do seu personagem, Mario era um profissional muito sério”, disse à imprensa o ator Javier Cordero, que contracenou com ele no filme “A volar joven”, de 1947.

 

Cantinflas, nome artístico de Fortino Mario Alfonso Moreno Reyes, nasceu na Cidade do México, a 12 de Agosto de 1911 e entrou em 50 filmes, dois deles foram em Hollywood, “A Volta ao Mundo em 80 Dias“, que foi um sucesso de bilheteira e “Pepe”, um fracasso de público e crítica. Faleceu a 20 de abril de 1993, vítima de um cancro do pulmão.

Cantinflas viveu o seu auge nas décadas de 50, 60 e 70 com filmes como, “Se eu Fosse Deputado” (1951), “Cavalheiro Sob Medida” (1953), “Pepe” (1960), “O Analfabeto” (1960), “O Padre” (1964), “Sua Excelência” (1966), “O Professor” (1970) e “O Ministro e Eu” (1975). Muitos dos seus filmes abordavam questões sociais como a pobreza, a fome, a religião, temas que Chaplin também explorava nos seus filmes.

 

Foi um dos maiores cómicos de sempre, Chaplin considerava-o o melhor de todos. Conhecido pela sua simpatia, simplicidade, carinho por todos (sempre pronto ajudar os mais necessitados) e humor irónico, ganhou fama mundial e é ainda hoje, admirado em todo o mundo.