Frank Sinatra celebraria hoje, se fosse vivo, o seu 100º aniversário. O icônico ator e cantor norte-americano entrou para a história como um dos maiores intérpretes de todos os tempos, tendo gravado mais 1800 músicas com sucessos eternizados até os dias de hoje e participou como ator em mais de 50 filmes

Francis Albert Sinatra era filho de um casal de imigrantes italianos, nasceu na cidade de Hooboken, Nova Jersey, nos Estados Unidos da América, a 12 de dezembro de 1915. Tornou-se rapidamente num artista de sucesso no inicio dos anos 1940, depois de ter assinado com a Columbia Records e lançou o seu primeiro álbum, “The Voice of Frank Sinatra”, em 1946. Cantou durante 70 anos, tendo gravado quase duas mil músicas, sendo que My Way, Strangers in the Night, Let me Try Again, Night and Day, New York New York, Moon River, Fly Me To The MoonI’ve Got The World On A String por exemplo, foram alguns dos seus maiores sucessos. Cedo ficou conhecido como “the Voice”, a “voz”, com a música popular americana, e o cinema deu-lhe uma imagem, um rosto.

O seu talento para cantar permitiu-lhe enveredar também pela área do cinema, no início praticamente em musicais, comédias e romances, sendo “Canção ao Amanhecer” (1941) a sua estreia no cinema (participação não creditada). Seguiram-se filmes como Bom dia Soldados” (1943), “Milionários de Ocasião” (1943), “Amor, Música e Sarilhos” (1944), “Paixão de Marinheiro” (1945), “Até as Nuvens Passarem” (1946), “Tudo Canta no Meu Bairro” (1947), “O Milagre dos Sinos” (1948) e “Um Dia Em Nova Iorque” (1949).

No cinema acaba por demonstrar grande capacidade para interpretar, passando a papéis mais difíceis e dramáticos, tendo ganho o Óscar de Melhor Ator Secundário em 1954, pelo filme “Até à Eternidade” de Fred Zinnemann. Entre os papéis mais dramáticos destacam-se “O Homem do Braço de Ouro” (1955), “Deus Sabe Quanto Amei” (1958) e “O Enviado da Manchúria” (1962). Sinatra começou a cantar menos nos filmes, passando a ser protagonista neles, tornando-se num dos mais requisitados atores de Hollywood dos anos 50.

O seu talento e sucesso permitiram-lhe entrar em mais dramas, westerns, policiais e filmes de guerra, para além das comédias e musicais. Destacou-se ainda em filmes como “Médico e Só Médico” (1955), “Alta Sociedade” (1956), “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias ” (1956), “Os Onze do Oceano” (1960), “As Cinco Caras do Assassino” (1963), “Os Sete Ladrões da Cidade” (1964), “O Expresso de Von Ryan” (1965) e “O Detective” (1968).

Apelidado como “The Voice”, “Blue Eyes”, Frank Sinatra, ao longo da sua carreira colaborou com grandes estrelas como Gene Kelly, Betty Garrett, Ann Miller, Burt Lencaster, Dean Martin, Montgomery Clift ,Laurence Harvey, Deborah Kerr, Bing Crosby, Grace Kelly, Kim Novak.

Na sua vida teve muitos êxitos, sempre nas luzes da ribalta, mas também passou por zonas de sombra. O FBI manteve vigilância a Sinatra durante vários anos por supostas ligações à Mafia, que lhe ajudou em alguns momentos da sua carreira. O que serviu de inspiração para o personagem Johnny Fontaine, no filme “O Padrinho” (1972). Morreu aos 82 anos, a 14 de maio de 1998, em Los Angeles. A vida do lendário ator e cantor mostrou interesse a Martin Scorsese para a realização de um filme, intitulado “Sinatra”, ainda em fase de pré-produção.

Frank Sinatra foi uma das grandes estrelas do cinema de Hollywood das décadas de 1950 e 1960 e o músico americano mais popular de todos os tempos.