ciclo cinema e revolcao 2015_1

“40 anos depois do Verão quente de 1975, a luta social, a revolução, o feminismo, a repressão, a história e a cultura numa mostra de cinema.”

“Cinema e Revolução” pretende ser uma amostra de cinema que assinale os 40 anos decorridos desde 1975 e da Revolução portuguesa que se iniciou no ano anterior. O ciclo, organizado pela CULTRA, Medeia Filmes, Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e RTPdecorre nos dias 19, 20 e 21 de junho no Espaço Nimas, em Lisboa.

“A seleção de documentários e filmes portugueses olha para esse Portugal pobre e aperreado pelo medo e a repressão no tempo da ditadura. Lembra as “três Marias” e os 40 anos que também passaram sobre as Novas Cartas Portuguesas. E devolve a palavra e a imagem a essa extraordinária iniciativa popular que desde os ateliers de costura, às fábricas, às herdades, lutando, cantando, procurando arduamente os caminhos novos da emancipação, voltara o novo mundo de pernas para o ar. Um raro momento da nossa história em que as mulheres e os homens desde sempre humilhados e explorados sentiram que podiam refazer o futuro com as próprias mãos, que valia a pena, que urgia intervir, participar, contribuir, falar, lutar.

E como todas as revoluções são irmãs, convocam também o diálogo com Daniel Bensaide ao encontro dos que, por todo o mundo, se insurgem contra o destino que lhes querem impor; a memória e as reflexões de Ken Loach sobre a grande esperança que trouxe a vitória trabalhista em 1945 ou o “Zero em comportamento”, esse filme maldito de Jean Vigo e de França de 1933.

Possa este ciclo de cinema que a CULTRA organiza ser, sobretudo, um gesto cívico e cultural contra o “ não há alternativa” face à indignidade e à injustiça do tempo presente. Olhar, afinal de contas, para estas imagens não tanto com a nostalgia do que passou, mas como elemento de reflexão sobre o que nos espera. A toda a equipa que ajudou a organizar e animar Cinema e Revolução, o nosso agradecimento fraterno.” (Texto de Fernando Rosas)

O programa conta com xx filmes, sendo que grande parte deles contam com uma apresentação feita por convidados ou contam com debates. José Luís Costa, Fernando Rosas, Francisco Louçã, Joaquim Vieira, José Filipe Costa, Margarida Gil, Manuel Mozos, Marta Pessoa, Mariana Mortágua e Pilar del Rio são alguns dos convidados que vão participar nesta mostra “Cinema e Revolução”.

 

Programação

19 junho

21h

Fátima de A a Z, de Margarida Gil (2009)

Verão Coincidente, de António de Macedo (1962)

O que podem as palavras – 40 anos de Novas Cartas Portuguesas, de Luísa Marinho e Luísa Sequeira (2015)

24h

On est Vivants, de Carmen Castillo (2015)

 

20 junho

11h

Zero em Comportamento, de Jean Vigo (1933)

15h

O Espirito de 45, de Ken Loach (2013)

18h

So that you can live, de Cinema Action (1982)

21h

O Medo à Espreita, de Marta Pessoa (2015)

24h

A Cantiga Era Uma Arma, de Joaquim Vieira (2014)

 

21 junho

11h

O Menino e O Mundo, de Alê Abreu (2013)

15h

Nós Por Cá Todos Bem, de Fernando Lopes (1976)

18h

Comunal, Uma Experiência Revolucionária, de José de Sá Caetano (1975)

Herdade do Zambujal, de Unidade de Produção Cinematográfica nº1 (1975)

Candidinha, de António de Macedo (1975)

21h

A Respeito da Violência, de Goran Hugo Olsson

ciclo cinema e revolcao 2015_2

Fonte: Medeia Filmes