O Cine Clube de Viseu disponibilizou sete filmes em streaming gratuitamente no seu kit cinéphilo como forma de resistência a este tempo de incertezas.

“No cinema, a resistência pode ser um breve poema ou cinema de crítica social. Ou uma ofensiva contra o puritanismo (bem precisamos). Entidades e realizadores acreditam que a cultura pode ajudar neste período de crise, partilhando online os seus filmes.” 

Esta iniciativa contou com a colaboração do Instituto Politécnico de Viseu e da APECV – Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual, com ajuda da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, Faux e Lugar do Real.

Cinco Filmes de Bruce Baillie – https://youtu.be/Ou5gBQ9IrKQ
Cinco filmes de um dos grandes poetas visuais do cinema, digitalmente restaurados. Bruce Baillie é conhecido pelos seus filmes líricos, antinarrativos, de produção caseira e extremamente artesanal e pelo seu trabalho fulcral na promoção e reconhecimento do cinema experimental americano.

Black Panthers, de Agnès Varda, 1968, 26′ – https://archive.org/details/AgnesVardaBlackPanthers1968
Inspirada pela política e pelos movimentos sociais emergentes em Los Angeles e São Francisco, Varda filma uma manifestação dos Panteras Negras, o influente movimento revolucionário pelos direitos dos negros. Uma verdadeira cápsula do tempo da Califórnia e do clima social nos Estados Unidos no final dos anos 60.

O Mal Amado, de Fernando Matos Silva, 1973, 109′  –  http://www.cinemateca.pt/Cinemateca/Destaques/Filmes-para-ver-esta-semana-O-MAL-AMADO.aspx
Um filme histórico logo à nascença: o último filme português a ser proibido pela censura e o primeiro estreado depois do 25 de Abril de 1974. Sem ser um filme militante, revela a estagnação social e moral de um país em ditadura e os abismos de comunicação entre as diferentes classes e gerações.
*disponível até esta quinta-feira, dia 23*

Il Giorno Della Prima Di Close Up, de Nanni Moretti 1996, 7′ – https://youtu.be/ppncqh6vTGk
A resistência de um pequeno cinema de Roma, que insiste em estrear o filme “Close Up” (1990) de Abbas Kiarostami, enfrentando a feroz concorrência das dezenas de outros cinemas que exibem “O Rei Leão” e os mais recentes blockbusters americanos. Nanni Moretti interpreta-se a si próprio enquanto gestor do cinema. O espaço é o Nuovo Sacher, cinema realmente cogerido pelo realizador.

Surfavela, de Joaquim Pinto, 1996, 38′ – http://lugardoreal.com/video/surfavela
Documentário de Joaquim Pinto sobre o Projecto Surfavela, um programa de resistência ao racismo e existência precária através da prática do surf, destinado aos jovens das favelas do Cantagalo e da Rocinha, Rio de Janeiro.

25 de Abril: Uma Aventura para a Democracia, de Edgar Pêra, 2000, 16′ – https://vimeo.com/70490687
A partir de imagens e sons de arquivo, Edgar Pêra funde e remistura tempos, vozes, testemunhos e emissões televisivas numa montagem quase impressionista. Mais do que ser um documento histórico ou observatório, “Uma Aventura Para a Democracia” mostra o fervor coletivo e a adesão popular ao movimento revolucionário.

Cartas a uma ditadura, de Inês de Medeiros, 2006, 60′ – https://vimeo.com/100549525
Documentário de Inês de Medeiros que revisita a memória dos anos do salazarismo através do olhar e testemunho de várias mulheres de diversos extratos sociais que, em 1958, foram convidadas a manifestar o seu apoio a Salazar em cartas laudatórias, a pretexto da primeira crise que abalou a ditadura, durante a campanha do General Humberto Delgado.

Fonte: Cine Clube de Viseu