Segundo avançou a imprensa nacional, o Cinema Monumental, em Lisboa, vai encerrar tal como o conhecemos no dia 20 de fevereiro de 2019. O anúncio foi feito hoje pelo produtor Paulo Branco, detentor da distribuidora e exibidora Medeia Filmes, empresa que explorou durante vários anos as quatro salas do Monumental.

No dia de encerramento, 20 de fevereiro, haverá uma homenagem a João César Monteiro, “uma revisitação da obra” do realizador português. “Até lá, a atividade normal do Monumental prolongar-se-á” a nível de exibições e debates, acrescentou Paulo Branco.

“Esta situação deriva essencialmente de, em termos económicos, ser absolutamente impensável manter um espaço destes ocupado com exibição cinematográfica. É sobretudo irrealista. Há uma conjuntura económica que faz com que a rentabilidade destes espaços não se coadune com uma atividade que não tem capacidade de os arrendar”, apesar de “uma enorme atenção da parte dos proprietários” do Monumental, explicou Paulo Branco.

O cinema lisboeta vai passar a receber apenas sessões ao fim de semana, mas apenas a maior das quatros salas será utilizada. “Se fechamos é para fazer melhor, não é para parar”, disse Paulo Branco, que pretende continuar a exibir várias cinematografias de todo o mundo e com “escolhas criteriosas” de realizadores.

Inaugurado em 1951, o Cinema-Teatro Monumental, com capacidade para 2170 espetadores, foi um ícone da cidade de Lisboa, “único no seu género em todo o mundo”, segundo alguns jornais da época, que acrescentavam que era “um luxuoso edifício que, desde as linhas arquitetónicas do exterior à luxuosa comodidade dos seus interiores, oferece o tom moderno e de bom gosto da casa de espetáculos digna de figurar entres as melhores da Europa.”

Na década de 1980, a joia da cidade foi demolida. Foi o fim de uma era, do cinema-templo. No mesmo local foi inaugurado, em 1993, um edifício de comércio e escritórios, com quatro salas de cinema com capacidade, no total, para mais de 800 espetadores e uma sala nobre. O Cine-Teatro é ainda uma das mais imponentes salas de exibição cinematográfica de Lisboa, com os seus 378 lugares.

“Pelo Cinema Monumental já passaram alguns dos mais ilustres nomes da 7.ª Arte, incluindo os realizadores Bernardo Bertolucci, David Cronenberg, Monte Hellman, Christophe Honoré ou Nanni Moretti e actores e atrizes como Catherine Deneuve, Robert Pattinson, Mathieu Amalric, Chiara Mastroianni ou Isabelle Huppert.”

Enquanto não fecha as suas portas, é possível ver nas salas do Cinema Monumental os seguintes filmes: “Shoplifters – Uma Familia de Pequenos Ladrões”, de Hirokazu Koreeda, (Sala 1), “Girl”, de Lukas Dhont, (Sala 2), “Ou Nadas ou Afundas”, de Gilles Lellouche, (Sala 3) e “Roma”, de Alfonso Cuarón, (Sala 4).

A Medeia Filmes continua a explorar mais sete salas de norte a sul do país: Espaço Nimas (Lisboa), Teatro Municipal Campo Alegre (Porto), Theatro Circo (Braga), Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra), Auditório Charlot (Setúbal) e o Centro de Artes e Espetáculos (Figueira da Foz).