«Cinema Paraíso» (1988 ) é um clássico do Cinema, uma verdadeira homenagem à Sétima Arte e aos seus Cineastas. Giuseppe Tornatore tornou-se famoso mundialmente com «Cinema Paraíso». Realizou mais tarde, «A Lenda de 1900» (1998 ), «Maléna» (2000) e «Baarìa» (2009), todos eles grandes filmes do cinema italiano. Tornatore dá um toque autobiográfico a este filme, tornando-o ainda mais humano e extraordinário. «Cinema Paraíso» tornou-se um dos mais populares filmes italianos das últimas décadas.

O filme conta a história (em flashbacks) de um realizador, Salvatore, que, após a sua mãe lhe revelar que Alfredo morreu,começa a recordar-se dos anos 50, de quando era um rapaz,  que vivia numa pequena vila da Sicília e passava a maior parte do tempo no Cinema Paraíso. Aí tornou-se grande amigo do proteccionista Alfredo (Philippe Noiret), que se tornou uma figura paternal para o rapaz. Alfredo fica cego, depois do incêndio no Cinema Paraíso, que o deixou todo destruído. O Cinema reabre, com novas instalações e com Salvatore a substituir Alfredo nas projeções. Em adolescente, Salvatore apaixona-se pela filha de uma banqueiro, Elena (Agnese Nano). Este segue os concelhos de Alfredo, de esperar debaixo da janela dela todas as noites. Anos mais tarde, Salvatore torna-se um realizador famoso, observa uma montagem, legada por Alfredo, com todas as cenas de beijos dos filmes exibidos no Cinema Paraíso – cenas estas que o padre (Leopoldo Triste) da vila mandava cortar.

Giuseppe Tornatore escreveu um magnífico argumento, com fantásticas personagens que nos tocam profundamente. Mas não é só a história que tornou este filme um sucesso, foi também, a realização, a banda-sonora e as interpretações dos atores. Todos estes aspetos tornaram possível a criação de uma obra única no cinema. A Banda Sonora é sem dúvida das melhores compostas por Ennio Morricone, esta envolve-nos no filme, é pungente. A fotografia é igualmente bela e magnífica, da autoria de Blasco Giurato. O elenco é de certa forma desconhecido para a generalidade do público. Philippe Noiret, que fez um dos melhores papéis da sua vida, é o ator mais conhecido deste elenco.

Vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 1990; vencedor de cinco BAFTA’s (1991); vencedor do Prémio do Júri de Cannes (1989); vencedor de Melhor Ator (Philippe Noiret) e Prémio do Júri, do Europeian Filme Awards (1989); vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro (1990). Está no Top 250 do IMDB, na posição 87.

«CinemaParaíso» é um filme que vai pôr as pessoas a chorar de tristeza e de alegria e despertar as memórias da infância. O humor italiano está sempre presente, tal como o drama. Mais uma vez, a música de Ennio Morricone é fundamental para aumentar a carga emotiva do filme. Um filme inspirador e obrigatório!

Realização: Giuseppe Tornatore

Argumento: Giuseppe Tornatore

Elenco: Philippe Noiret, Agnese Nano, Leopoldo Triste

Itália/1988 – Drama

Sinopse: A acção decorre no Cinema Paradiso, o único Cine-Teatro nesta cidade na Sicília, onde os habitantes vão para rir, chorar, dar cotoveladas e protestar cada vez que o padre local censura as cenas de beijos. É aí que o jovem Salvatore e o velho Alfredo manejam o projector. Ou costumavam manejar. De facto, a história começa anos mais tarde, quando o anúncio da morte de Alfredo chega à Salvatore, hoje um realizador prestigiado em Roma. Salvatore finalmente percebe que a sua infância não foi nada mais nada menos que um filme italiano. Alfredo, o nebuloso velho mentor, com a sua sabedoria enlatada dos filmes de John Wayne, ensina o jovem Salvatore a trabalhar com o projector; o censor eclesiasta tocando um sino para indicar onde o projeccionista tem de cortar cenas; pais gritando, padres amaldiçoando, rapazes masturbando-se e, sim, até um maluquinho da aldeia…

«Cinema Paraíso» - Um Hino à Sétima Arte
5.0Valor Total
Votação do Leitor 2 Votos