No início do mês, um grupo de 15 dos principais cinemas independentes do Reino Unido e da Irlanda apelaram à Netflix para ampliar a sua estratégia de lançamento nos territórios para além daqueles fixados no acordo fechado com o distribuidor independente e exibidor Curzon Cinemas para filmes como “Legítimo Rei”, de David Mackenzie, “Roma”, de Alfonso Cuarón e “A Balada de Buster Scruggs”, de Joel e Ethan Coen.

Numa carta aberta, os vários cinemas independentes protestavam “Nós, como cinemas independentes, não podemos reservar e exibir os filmes da Netflix porque o negócio é, de facto, exclusivo da Curzon Cinemas”.

O grupo de signatários é liderado por Mark Cosgrove, curador de cinema do Watershed, em Bristol, Jason Wood, diretor artístico do HOME em Manchester, e Ian Wild, diretor do Showroom, em Sheffield.

“Esta falta de disponibilidade em grande parte do país não é apenas frustrante para nós, como cinemas independentes que promovem a cultura cinematográfica, mas também é profundamente confuso para o público de todo o país”, dizem os signatários, perplexos com o facto de não poderem programar os filmes.

Segundo avançou esta semana o Screen Daily, a Netlifx encontra-se em negociações com mais exibidores independentes do Reino Unido e da Irlanda para que estes possam programar os filmes nas suas salas de cinema.

A gigante americana do streaming está a trabalhar com a cadeia inglesa de cinemas Curzon como sendo o seu principal parceiro de exibição para o filme “Roma”, de Alfonso Cuarón, mas também para “A Balada de Buster Scruggs”, de Joel e Ethan Coen.

No entanto, o envolvimento da Curzon Cinemas no Reino Unido não é inteiramente exclusivo e a Netflix confirmou que está aberta à ideia de se explorar um possível lançamento em salas de cinema dos EUA e internacionais após o lançamento mundial do filme na plataforma de streaming a 14 de dezembro.

A Netflix está agora em negociações com vários cinemas independentes britânicos e há discussões em andamento sobre os termos. Um exibidor disse que a empresa pretende colocar o filme apenas em cinemas que tenham a capacidade de projetar filmes em 70 mm ou em 4k e que tenham  o sistema de som Dolby Atmos. A maioria das salas de cinema independentes, no entanto, não pode oferecer ambos e isso pode ser um entrave nas negociações.

“Roma” é um dos poucos filmes da Netflix a receber distribuição, embora limitada, em salas de cinema em vez de ser lançado de imediato na sua plataforma online. O filme estreia a 21 de novembro em Los Angeles, Nova Iorque e México. No Reino Unido, será inicialmente lançado no Curzon Soho, em Londres, no dia 29 de novembro.

O filme de Alfonso Cuarón venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza 2018 e é o candidato mexicano ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. Produzido pela Participant Media, este filme a preto e branco é uma homenagem à família do cineasta ao basear-se nas memórias de Alfonso Cuarón durante os anos 1970, na Cidade do México.

“Roma” é apontado como um dos grandes favoritos aos Óscares de 2019, sendo muito provável que o México vença pela primeira vez o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. Depois de ter sido exibido recentemente no TIFF, a Netflix está a fazer todos os possíveis para que o novo filme do realizador mexicano seja nomeado a mais categorias dos Óscares.