A Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema foi contemplada com o Prémio Henri Langlois de 2016 na categoria “Cinematecas e Restauros”, sucedendo assim a congéneres como os Arquivos do CNC francês, as cinematecas de Bolonha, Berlim, Amesterdão, Luxemburgo e São Paulo, e ao Instituto Lumière de Lyon.

O Prémio, atribuído pela associação homónima dirigida por Jean-Louis Langlois e Frédéric Vidal, será entregue no próximo dia 11 de abril, no âmbito do festival “Rencontres Internationales de Cinéma de Patrimoine”, em cerimónia que decorrerá no auditório da Maison de la Radio, em Paris, com a presença do Director da Cinemateca Portuguesa, José Manuel Costa.

Esta cerimónia culminará os referidos “Encontros”, durante os quais será exibida a cópia recentemente restaurada de “Mudar de Vida” (1966) de Paulo Rocha, além da série de pequenos filmes rodados pelo pioneiro do cinema português Aurélio da Paz dos Reis em 1896, também de há muito conservados e restaurados pela Cinemateca. A iniciativa que reúne os Encontros Internacionais de Cinema do Património e a atribuição do Prémio Henri Langlois celebra este ano o seu décimo aniversário, e tem como objetivo “chamar a atenção de cinéfilos, estudantes de cinema, profissionais da 7ª arte e poderes públicos para o futuro das obras cinematográficas”.

Os “Encontros” incluem um vasto programa de projeções, debates, conferências e exposições, e os Prémios Henri Langlois destinam-se a recompensar técnicos, atores, realizadores, fundações e cinematecas, cujo trabalho, em qualquer parte do mundo, contribui de forma relevante para o conhecimento e a transmissão do património cinematográfico. No caso das cinematecas, o Prémio tem em linha de conta trabalhos recentes de organismos que se destacaram nas áreas da conservação e do restauro de filmes.

Na sessão de 11 de abril estará presente Claudia Cardinale, que preside ao Comité de Honra da iniciativa desde a sua criação e que designou já esta iniciativa como “um símbolo de um combate que alguns levam a cabo para a descoberta ou redescoberta de obras maiores do património mundial, obras que merecem ser preservadas, restauradas e protegidas como tesouros da nossa memória coletiva e cultural.”

A Cinemateca Portuguesa foi fundada por Manuel Félix Ribeiro, em 1948.

Fonte: Cinemateca Portuguesa