Premiere a Empire, até podemos dizer de primeira a império. Ou seja, de uma revista de cinema em português passamos a ter quatro, e duas delas surgiram em pouco mais de um mês, este ano. Em pouco tempo passamos a ter um império de revistas de cinema em Portugal. Tudo começou com a Premiere, que foi durante muitos anos a única revista dedicada ao Cinema em Portugal, que aliás foi assim conhecida como “a única”. Em 2007 esteve quase a ser encerrada, mas lá conseguiu recuperar e foram tentado refazendo a revista para agradar aos leitores, em 2010 a qualidade da revista melhorou consideravelmente, com novos artigos de opinião e novas secções e novos autores. No entanto, a revista como foi durante muitos anos a única no nosso mercado, foi muito críticada e agora por muito que tentem melhorá-la, será complicado fugir à fama que tem.

Só em 2010 é que surgiria a primeira concorrência, a Magazine HD, uma revista que para além do cinema, está mais focada em televisão, vídeo e nas novas tecnologias, jogos e consoloas. Este ano, saiu em Abril a nº1 da TOTAL Film, versão portuguesa, que na versão original (americana) é uma das mais vendidas no mundo, e esta semana saiu a nº1 da Empire, versão portuguesa, que na versão original (britânica) é a revista de cinema mais vendida no mundo. Assim, com quatro revistas os cinéfilos portugueses, os amantes da sétima arte, já tem muito por onde escolher. Pessoalmente não acho nenhuma das quatro perfeita, acho que as quatro se completam, pois todas dão grande destaque ao cinema de Hollywood e aos blockbusters, e pouco destaque ao cinema europeu, asiático, independente e ao cinema português. Por isso, acho que ainda falta uma revista em Portugal, que seria a Cahiers du Cinema, que é uma das revistas de cinema mais antigas do mundo, criada em França nos anos 50. Esta revista iria completar as que já temos, mas quem sabe, um dia poderá vir para Portugal, ou as que já temos virem-se mais para este tipo de cinema. Apesar de tudo, a Premiere parece ser das três a que dá mais destaque ao cinema português. Mas as que temos já são boas, a Empire que é a mais recente, parece ser a melhor, pelo menos é que tem mais páginas, mais artigos para ler e também é a mais cara, custa 3,50€. A Premiere custa 3€ e a TOTAL Film e a Magazine HD custam 2,95€. Espera-se que os erros que a Premiere cometeu ao longo destes 12 anos de existência tenha servido de exemplo para as actuais e futuras revistas de cinema. Agora, caros leitores cinéfilos, escolham!

O ano de 2010 foi um dos melhores para a produção cinematográfica nacional, temos quatro revistas de cinema e vai abrir em breve a Academia do Cinema Português. Cinema português no seu melhor, Portugal está quase a dar o passo gigante, à tanto tempo aguardado.