O destaque da semana é “Carlos”, do realizador francês Olivier Assayas, que chega finalmente às salas portuguesas, depois de ter estreado noutros países e no Indie Lisboa 2011 (foi filme de abertura). A versão que chega aos cinema é a mais curta, feita a partir das cinco horas da série televisiva. O filme foi apresentado no Festival de Cannes de 2010 e desde então tem recebido boas críticas e vários prémios, Melhor Edição no European Film Awards 2010, Melhor Mini-Série nos Globos de Ouro americanos, Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de São Paulo, entre outros. “Carlos” é um filme biográfico sobre uma figura mítica do terrorismo, conhecido como “Carlos El Chacal”, um homem da extrema esquerda, um revolucionário, um lutador! “Carlos” estreia hoje nos cinemas portugueses.

A história de Ilich Ramírez Sánchez (Édgar Ramírez), conhecido também como Carlos, o “Chacal”. Revolucionário venezuelano intimamente ligado ao terrorismo internacional durante as décadas de 70 e 80, desde o activismo pró-palestino ao Exército Vermelho japonês, ele foi, na época, procurado pelas mais importantes polícias secretas do mundo. Por muitos considerado um idealista e por outros um simples mercenário, o filme retrata o seu trajecto enigmático e contraditório até ser capturado em Cartum, Sudão, a 14 de Agosto de 1994, e levado para França, onde foi condenado a prisão perpétua.
Sinopse: Cinecartaz Público