Primeiro filme do actor Casey Affleck (“O Assassínio de Jesse James Pelo Cobarde Robert Ford”), trata-se de um documentário ficcionado sobre o pretenso “ano perdido” de Joaquin Phoenix. Com uma mistura de imagens de arquivo, reportagens, programas televisivos, vídeos do YouTube e material privado, tem início no Outono de 2008 quando Phoenix – a meio da promoção de “Duplo amor”, de James Gray – anuncia o fim da sua carreira enquanto actor para se dedicar, em exclusivo, à música. Durante 107 minutos, vê-se Phoenix a cheirar cocaína, solicitar serviços de prostituição, ter sexo oral com uma agente publicitária, tentar trabalhar com P. Diddy e muitos outros momentos privados e de comportamento extremo de alguém que, entre a reinvenção e a decadência, se encontra a meio de uma encruzilhada.

 

Sempre se pôs em causa a verdade deste documentário, até que Casey Affleck, numa entrevista ao New York Times, admitiu que o suposto documentário que realizou é falso. “É uma actuação sensacional. É a performance da carreira dele”, disse o actor e realizador irmão Ben Affleck. O filme esteve presente no Festival de Veneza, na edição deste ano, na Secção Fora de competição e foi o filme de abertura do Estoril Film Festival 2010.  “I’m Still Here” estreia hoje nas salas nacionais.