Dia do Médico: 3 filmes para celebrar o ofício

Last updated:

No calendário da saúde, outubro é marcado por algumas datas importantes. Entre elas, está o Dia do Médico.

Em todo o mundo, o Dia do Médico é comemorado, pois todos reconhecemos as contribuições que os médicos fazem na comunidade e nas vidas individuais. Alguns países comemoram o Dia do Médico em uma data diferente, mas todas as nações garantem que esses profissionais sejam apreciados.

Em Portugal, o Dia do Médico é celebrado em 18 de outubro. A origem é cristã e foi escolhida em homenagem ao nascimento de São Lucas, considerado patrono dos médicos desde o século XV e que também exerceu a medicina.

A escolha do dia 18 de outubro como Dia do Médico – e de São Lucas como patrono desses profissionais – é comum em vários países de base cristã, como Itália, Portugal, Brasil, França, Espanha, Bélgica e Polônia.

O papel do médico dentro da equipe de saúde mudou e continuará mudando. As sociedades precisam entender não apenas o que os médicos podem fazer, mas também o que pode ou deve ser feito por outros membros da equipe multidisciplinar de saúde. Os médicos têm o dever para com a sociedade como um todo de examinar sua responsabilidade e não continuar cegamente a fazer o que sempre foi feito.

Nesta ocasião especial, o Cinema Sétima Arte aproveitou a data para separar alguns filmes que celebram a profissão.

 

Despertares (1990), de Penny Marshall

Baseado no livro homônimo de Oliver Sacks, “Despertares” foca em Malcolm Sayer um neurologista que revoluciona o tratamento de pacientes psiquiátricos após um experimento com a substância L-DOPA. No longa de Penny Marshall, Robin Williams retrata um profissional que trabalha com amor e consideração aos seus pacientes. O elenco traz Robert De Niro, Robin Williams, Vin Diesel e John Heard.
Reprodução | Internet

Mãos Talentosas (2009), de Thomas Carter

Baseado em uma autobiografia de mesmo nome, “Mãos Talentosas” conta a história de Benjamin Carson e sua trajetória até se tornar um dos maiores neurocirurgiões pediátricos. O drama conta como o garoto enfrenta os problemas de sua infância, crescendo em meio a uma família desestruturada, pobreza e preconceito enquanto tenta melhorar suas notas e controlar seu temperamento ao seguir o sonho de ser um médico. Já adulto, assume a chefia do departamento de neurocirurgia em um dos maiores hospitais dos Estados Unidos, tentando equilibrar os problemas familiares com os casos complexos a serem resolvidos.
Reprodução | Internet

Patch Adams (1998), de Tom Shadyac

O longa narra a história real de Hunter Adams que, após uma tentativa de suicídio decide, voluntariamente, ser internado num hospital psiquiátrico, acabando por descobrir o dom de poder ajudar as pessoas usando o humor e a humanidade. Surge então, o sonho de se tornar médico. Ao conseguir ingressar no curso de Medicina, apercebe-se da frieza existente na faculdade, assim como no hospital, onde se destaca uma relação medico-doente distante.

Patch é um homem para o qual não existem limites, restrições e normas sociais, possui uma despreocupação, criatividade e alegria que contagia todos os pacientes, familiares e enfermeiras. Ele enfatiza a ideia de que não é só a ciência e a medicina que podem salvar vidas, mas também o amor, atenção e a compaixão, mostrando nos que somente através do amor e alegria se constrói e reconstrói vidas.

Reprodução | Internet
Skip to content