Depois de ter sido anunciado em finais de 2017 que a Walt Disney Company tinha avançado com a compra de um dos maiores estúdios de cinema do mundo, a 21st Century Fox, foi hoje concluído esse acordo formalmente, por 71,3 mil milhões de dólares (cerca de 61,5 mil milhões de euros).

“Este é um momento histórico e extraordinário para nós – que criará um valor significativo a longo prazo para a nossa empresa e os nossos acionistas”, disse Bob Iger, presidente-executivo da Disney, em comunicado na tarde de terça-feira. “Combinar a riqueza de conteúdo criativo e talentos já comprovados da Disney e da 21st Century Fox cria assim a empresa de entretenimento global mais proeminente, bem posicionada para liderar numa época incrivelmente dinâmica e transformadora”.

Esta compra envolve inclui os conteúdos da 20th Century Fox Film and Television studios, Fox Searchlight Pictures, Fox 2000, 20th Century Fox Television, os canais Sky, Star, FX, National Geographic, Fox21, Fox Sports Regional Networks, Fox Networks Group International, a plataforma online Hulu, e Endemol Shine Group.

Esta fusão permite à Disney ter acesso ao vasto catálogo de filmes da 20th Century Fox, fundada em 1935 entre a partir das companhias Fox Films e 20th Century Pictures, que reune clássicos como “Música no Coração”, “Titanic”, “As Vinhas da Ira”, “O Dia Mais Longo”, “Cleópatra”, “Eduardo Mãos de Tesoura”, “Avatar” e o primeiro filme “Star Wars”. Passa a reunir também os filmes de X-Men, Fantastic Four. Entre as séries de televisão conta com a icónica série “Simpsons”, que já vai na trigésima temporada, “Family Guy”, “Bob’s Burgers”, “American Dad” entre outras.

Este negócio milionário vem assim fortalecer ainda mais a presença da Disney no mercado, que já conta com os conteúdos da Star Wars, Marvel e Pixar. Tudo indica que vai ser lançada este ano a plataforma streaming Disney Plus, para desafiar a sua concorrente Netflix.