Arranca hoje a 15ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema, um dos mais importantes festivais internacionais de cinema documental, que irá decorrer até 29 de outubro, na Culturgest, no cinema São Jorge, no Cinema Ideal e na Cinemateca Portuguesa. É com a estreia mundial da nova obra do cineasta Manuel Mozos, “Ramiro”, que o certame abre, pelas 21h30.

Depois de “João Bénard da Costa – outros amarão as coisas que eu amei” (2014) e de “Cinema: Alguns Cortes – Censura III” (2015) Manuel Mozos estreia “Ramiro”, uma divertida e tocante comédia que conta a história de Ramiro, um alfarrabista em Lisboa e poeta em perpétuo bloqueio criativo. Vive, algo frustrado, algo conformado, entre a sua loja e a tasca, acompanhado pelo cão, pelos fiéis companheiros de copos e pelas vizinhas: uma adolescente grávida e a avó a recuperar de um AVC. “Um filme imperdível de um dos mais importantes e carismáticos realizadores portugueses.”

O programa do Doclisboa 2017 é composto por 231 filmes, oriundos de 44 países, dos quais 52 são estreias mundiais, 44 são filmes portugueses e 4 são estreias europeias.