Dupla de “Resident Evil” ganha caso após acidente que levou ao final de carreira

Um tribunal na África do Sul deu o caso a favor de Olivia Jackson, uma dupla que viu o seu braço esquerdo amputado e esteve em coma durante 17 dias após um acidente durante as filmagens de “Resident Evil: O Capítulo Final”.

Olivia Jackson trabalhava como dupla de Milla Jovovich em 2015, quando ocorreu o acidente no set. Jackson colidiu contra uma câmara montada num guindaste que se deslocava na direção oposta, enquanto ela guiava uma mota a alta velocidade. A dupla passaria, então, 17 dias em coma, com o braço esquerdo amputado acima do cotovelo. Sofreu, ainda, outras repercussões, tais como um pulmão perfurado, costelas partidas, cicatrizes faciais, coluna torta, entre outras.

O tribunal reconheceu a favor de Jackson, afirmando que a manobra fora negligentemente planeada pela companhia responsável pelo controlo dos veículos e da câmara, Bickers Actions SA. Foi revogada a alegação de que a mota que Jackson guiava teria sido a causa do acidente. 

Jackson não terá assumido o risco voluntariamente, desconhecendo que o realizador Paul W. S. Anderson teria dado instruções para diminuir a margem de segurança entre o ensaio e a filmagem, com o intuito de captar um plano mais realista.

A dupla defende que os filmes de ação que requerem a exposição ao perigo dos duplos devem ser bem planeados e contar com seguros que cobrem qualquer dano que ponha em perigo a vida dos envolvidos. Jackson lamenta o que lhe aconteceu, afirmando que “sente saudades da sua vida”. Contudo, o reconhecimento de como não foi culpada no acidente que lhe condicionou a vida alivia a sua consciência após a dura luta jurídica.