O ano de 2017 aproxima-se do fim, pelo que o Cinema 7ª Arte faz a habitual retrospectiva cinematográfica anual. A colheita cinematográfica deste ano foi boa, quer para o cinema nacional, quer para o cinema internacional, pelo que estes foram alguns dos filmes mais badalados do ano: “A Morte de Luís XIV”, “O Quadrado”, “120 Batimentos por Minuto”, “Okja”, “A Paixão de Van Gogh”, “Paterson”, “Verão Danado”, “Mãe!”, “Toni Erdmann”, “Planeta dos Macacos: A Guerra”, “A Fábrica de Nada”, “Moonlight”, “Fátima”, “La La Land”, “The Disaster Artist”, “Silêncio”, “It”, “Get Out”, “A Criada”, “Uma Viagem pelo Cinema Francês com Bertrand Tavernier”. Fazemos agora uma retrospectiva do que mais relevante aconteceu no mundo da sétima arte:

No mundo da sétima arte em 2017 foi assim…

  • O assédio sexual foi talvez o que mais abalou o ano no mundo do cinema, depois de Harvey Weinstein, um dos produtores independentes mais conhecidos e influentes de Hollywood, ter sido acusado de assédio e agressão sexual. Por conseguinte, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas norte-americana condenou Weinstein à expulsão da Academia, decisão votada por mais de dois terços dos membros da Academia. A carreira de Harvey Weinstein foi abalada com a publicação de um artigo do jornal The New York Times, no dia 5 de outubro, uma investigação que revela várias acusações de assédio sexual contra Weinstein ao longo de décadas. São mais de 30 mulheres que denunciam o produtor e distribuidor norte-americano, das quais se destacam Asia Argento, Judith Godrèche Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie. Seguiram-se muitos mais nomes influentes em Hollywood acusados por assédio sexual, como por exemplo o ator Dustin Hoffman, o ator Kevin Spacey, o comediante Louis C.K., o argumentista James Toback, o produtor Brett Ratner, entre outros. No caso de Kevin Spacey chegou ao ponto de este ter sido removido por completo do novo filme de Ridley Scott, “All The Money in The World” (“Todo o Dinheiro do Mundo”). Todas as cenas do ator foram substituídas (recriadas de novo) pelo ator Christopher Plummer. O filme conseguiu ficar pronto a tempo das nomeações para os Globos de Ouro, que já nomearam Plummer para o Globo de Ouro de Melhor Ator Secundário (Drama). Todos estes crimes que foram denunciados por mulheres e homens vítimas de assédio sexual, levou a que a personalidade do ano para a revista Time fossem pessoas que denunciaram casos de assédio sexual.
  • Já no último mês do ano outro acontecimento marcou 2017, a compra da 21st Century Fox, um dos maiores estúdios de cinema do mundo, por parte da Walt Disney Company, por 52,4 mil milhões de dólares (cerca de 44,5 mil milhões de euros). Esta é uma fusão histórica pois a Disney passa a integrar na sua posse todo o espólio de filmes e de marcas da Century Fox. A Disney passa a partir de agora a ser um forte concorrente da Netflix, Apple, Amazon, Google e Facebook, no campo do vídeo online. Passa a ser um verdadeiro concorrente contra os gigantes tecnológicos, podendo no futuro a Disney lançar um serviço de streaming semelhante à Netflix.
  • Os filmes mais pesquisados no Google em 2017, a nível mundial, (por ordem de pesquisa): “It”, “Wonder Woman”, “Beauty and the Beast”, “Logan”, “Justice League”, “The Fate of the Furious”, “Baahubali 2: The Conclusion”, “Dunkirk”, “La La Land” e “Thor: Ragnorok”Harvey Weinsteins foi a 4ª pessoa mais pesquisada na internet; Kevin Spacey foi o 2º ator mais procurado e Louis C.K. o 4º.
  • 2017 fica também marcado pela anunciada reforma do ator inglês Daniel Day-Lewis, que em junho deste ano, segundo comunicou o seu porta voz “Daniel Day-Lewis não trabalhará mais como ator. Ele está imensamente grato a todos os seus colaboradores e ao público que teve ao longo de muitos anos. Esta é uma decisão privada e nem ele nem os seus representantes farão quaisquer comentários futuros acerca do assunto.”. O ator de 60 anos, que participou em 21 filmes, conquistou três Óscares de Melhor Ator, por “O Meu Pé Esquerdo” (1989), por “Haverá Sangue” (2008) e por “Lincoln” (2013). Destacam-se ainda da sua obra filmes como “O Último dos Moicanos” (1992), “A Idade da Inocência” (1993), “Em Nome do Pai” e “Gangs de Nova Iorque” (2002). “Phantom Thread”, escrito e realizado por Paul Thomas Anderson, será o seu último filme, que estreia nas salas de cinema nacionais a 1 de fevereiro de 2018.
  • A cerimónia dos Óscares 2017 marcou certamente o ano pela inédita troca de nomes na entrega do Óscar de Melhor Filme. A Academia premiou “Moonlight” como o Melhor Filme do Ano da 89ª edição dos Óscares, depois de se ter instalado a confusão na cerimónia ao ter sido entregue a “La La Land”Warren Beatty anunciou por engano “La La Land” como o vencedor. Um erro que fica para a história.
  • O filme português mais badalado do ano foi sem dúvida “A Fábrica de Nada”, a primeira longa metragem de ficção de Pedro Pinho, que conquistou o Prémio FIPRESCI, da Federação Internacional de Críticos de Cinema, atribuído ao melhor filme exibido na Quinzena de Realizadores do Festival de Cannes 2017.
  • Segundo os dados do ICA (Instituto do Cinema e do Audiovisual), até novembro de 2017, registou-se um aumento na receita bruta e no número de espectadores nas salas de cinema em Portugal de 4,4% (mais de três milhões de euros) e 3,4% (mais de 453 mil espectadores), do que no mesmo período de 2016. Ou seja, com dados contabilizados até novembro, em 2017 registou-se 72.161.229,95€ de receita bruta e 13.818.344 espectadores nas salas de cinema nacionais. Setembro, Outubro e Novembro foram os meses com piores resultados, abaixo de um milhão de espectadores, enquanto Abril foi o que registou a maior presença de espectadores em sala, com cerca de 1,8 milhões de espectadores.
  • Segundo o ICA, “Velocidade Furiosa 8” foi o filme mais visto do ano em Portugal, tendo sido visto por 787.724 espectadores e registado 4.304.538,18€ em receita bruta. Seguem-se “Gru – O Maldisposto 3” (588.937 espectadores) e “A Bela e O Monstro” (535.513 espectadores) em segundo e terceiro lugar dos mais vistos do ano. No ranking dos filmes nacionais mais vistos do ano (segundo dados do ICA até 13 de dezembro) encontra-se em primeiro lugar “O Fim da Inocência” de Joaquim Leitão (com 48.276 espectadores), em segundo lugar encontra-se “Jacinta” de Jorge Paixão da Costa (45.561 espectadores), em terceiro lugar encontra-se “Perdidos” de Sérgio Graciano (43.600 espectadores) e “São Jorge” de Marco Martins (41.970 espectadores) foi o quarto mais visto.
  • Para terminar, aqui fica uma humilde referência a alguns dos que partiram este ano: o ator Robert Guillaume, o realizador António de Macedo, a atriz e romancista Anne Wiazemsky, o ator Harry Dean Stanton, a atriz Debbie Reynolds, o ator Harry Dean Stanton, o ator Adam West, o ator Jerry Lewis, o dramaturgo Sam Shepard, a atriz e cantora Jeanne Moreau, o realizador George A. Romero, o realizador John G. Avildsen, o ator Roger Moore, o ator Sam Shepard, o realizador Jonathan Demme, o ator Bill Paxton, a atriz Emmanuelle Riva, o ator John Hurt e o ator Gorden Kaye.

No Cinema 7ª Arte…

Os 5 Artigos mais lidos:
Prémios Sophia 2017: Vencedores
Prémios Sophia 2017: Nomeados
Globos de Ouro 2017: Vencedores
Nuno Lopes distinguido como o Melhor Ator Europeu
Cannes 2017: Vencedores

As 5 Críticas mais lidas:
«A Ghost Story» – Contemplação da terra que nos contempla
«Verão Danado» – O vazio que o cinema preenche de beleza
«Tabu» – A tragédia do amor perdido no cinema nostálgico de Miguel Gomes
«Ramiro» – Já conhecem o Ramiro?
«Dunkirk» – Regresso às praias de Dunquerque numa tela branca

As 5 Palavras mais pesquisadas:
cineconchas 2017
premios sophia 2017
premiações cinema 2017
ferdinando
oscares 2017