Encontros de Cinema de Viana 2015_1

Arrancou ontem a 15ª edição dos Encontros de Cinema de Viana, no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, que decorrerá até dia 10 de maio, organizado pela associação AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual.

Estão encontrados os 19 filmes candidatos ao prémio Primeiro Olhar, que pretende promover a produção documental e distinguir o melhor documentário realizado por alunos de escolas de cinema, de audiovisuais ou comunicação. Nesta edição, além de filmes oriundos de Portugal e da Galiza, a organização abriu o concurso também aos países lusófonos, com o objectivo de tornar o prémio mais competitivo e de trazer para o concurso representações que reflitam a realidade dos países de produção.

Assim, os filmes selecionados foram realizados por alunos das Universidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza, bem como da Fundação Getúlio Vargas e da Academia Internacional De Cinema do Brasil. Os alunos portugueses a concurso realizaram os documentários no âmbito de cursos das Universidades Católica, Lusófona, Nova de Lisboa, da ESMAE, da Escola Superior de Teatro e Cinema e da Escola Superior de Abrantes.

O júri do prémio Primeiro Olhar é constituído pelo compositor e investigador António de Sousa Dias, pela fundadora do FIDÉ – Festival International du Documentaire Étudiant, Flávia Tavares, e por Luís Correia, produtor, realizador e fundador do DocLisboa. À semelhança das edições anteriores haverá também lugar à atribuição do prémio Cineclubes, cujo júri é constituído por Regina Machado, em representação do Cineclube do Porto, e pelos galegos José Rodríguez López e Severiano Casalderrey Conde. Cada um dos prémios tem um valor pecuniário de 1.000 euros.

Os Encontros de Cinema de Viana decorrem até domingo, contando ainda com a secção Olhares Frontais, durante a qual serão apresentados filmes de escolas internacionais, como a film.factory, que tem como mentor o realizador húngaro Béla Tarr, DocNomads (Documentary Film Directing) – Erasmus Mundus Master Course, um curso europeu de realização de documentários com tutoria, em Portugal, de Margarida Cardoso, do laboratório de produção, da European Film Academy e do Festival Internacional Fidé. Haverá também espaço para conversas com realizadores e para a projecção dos nomeados ao prémio PrimeirOlhar, com a respectiva entrega de prémios no final.

Pedro Sena Nunes, programador dos Encontros de Cinema, afirma que a secção Olhares Frontais “é um espaço de reflexão (e conflito), um encontro com a história dos filmes que habitam em zonas de fronteira”.

Também integrado na programação dos Encontros realizar-se-á a 4ª Conferência Internacional de Cinema, que decorre nos dias 7 e 8 de Maio na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, e que reúne investigadores de Portugal, do Brasil e da Galiza para debaterem temas como “Cinema e escola”, “Cinema: arte, ciência, cultura)”, “Documentário Contemporâneo” e “Cinema e Género”.

À semelhança das edições anteriores, regressam as Histórias na Praça, que acompanham o processo de produção de curtas-metragens realizadas por alunos de escolas de Viana do Castelo e os Filmes Falados, com a apresentação de obras cinematográficas e espaço para debate, este ano moderado por Fabrice Schurmans. Realiza-se também o Encontros de Cineclubes, para debater o Cinema na Era Digital e a Formação de Públicos.

Os documentários em concurso serão exibidos nos dias 9 e 10 de maio, no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, integrados na secção Olhares Frontais, dos XV Encontros de Cinema de Viana do Castelo.

 

Secção Olhares Frontais

Milton – O Cineasta da Vila, de Fabricio Mafezoli (Brasil)

Água, de Manuel Carneiro (Portugal)

A Tecnologia do Lúdico, de Douglas Nascimento (Brasil)

Saba, de Sara Santos (Portugal)

Chá da Meia-Noite, de Sibila Lind (Portugal)

Bola Cá, Bola Lá, de Luís Sousa (Portugal)

Entre o Cordelista e o Jornalistar, de Cinthia Cardoso de Souza, Gabriela Gonçalves, Rebeca Carrara Marques Dias e Tatiana Terra F. A. Guimarães (Brasil)

Iterance, de Sérgio Miguel Silva (Portugal)

Bruno, de Felipe Chimicatti e Pedro Carvalho (Brasil)

Negro Lá Negro Cá, de Eduardo Cunha Souza (Brasil)

Assim na Terra como no Céu, de Sibila Lind (Portugal)

Heldyeine, de Miqueias Moura Mesquita (Brasil)

Memorando, de Natacha Oliveira (Portugal)

Poço das Almas, de Filipa Pinto (Portugal)

Escute…, de Manoela Meyer (Brasil)

Do que é Sensível, de Ana Zahner (Brasil)

Muro, de Eliane Scardovelli (Brasil)

A Passagem, de Sohel Rahman (Portugal)

Fonte: Encontros de Cinema de Viana