Numa entrevista exclusiva ao jornal Expresso a Brad Pitt e Leonardo DiCaprio, eles esclarecem: filmar com Tarantino é uma viagem de montanha-russa.

Nunca tinham contracenado, mas algum dia teria de acontecer — e foi pela mão de Quentin Tarantino em “Era Uma Vez em… Hollywood”. Para o realizador, eles são a dupla de ficção que se vai encravar na engrenagem da realidade histórica

Foi dada a palavra a, indiscutivelmente, duas das maiores estrelas de cinema do nosso tempo, numa entrevista recente:

Brad Pitt friso o seguinte:O que eu acho fantástico é que ele (Leonardo DiCaprio) é cabeça de cartaz nos filmes dele, eu nos meus, mas agora que os nossos caminhos se cruzaram essa questão nem se colocou. Mas… a cabeça de cartaz de um filme de Quentin Tarantino será sempre… o próprio Quentin Tarantino”.

E acrescentou ainda: Naquele tempo, os atores tinham os seus duplos privados, ensaiavam com eles as suas próprias lutas, estavam muito ligados. Eram como marido e mulher na vida profissional (…) O nosso trabalho é uma luta pela sobrevivência

Leonardo DiCaprio, no seguimento, disse: O trabalho de ator é sempre arriscado. Com Quentin, é mais do que isso: é uma corrida de fundo.

Não quis terminar sem enaltecer a relação com o colega: O Brad e eu somos quase da mesma geração, demo-nos a conhecer quase ao mesmo tempo, porque, embora ele seja mais velho, eu comecei mais cedo. Acho que ambos sabemos que há oportunidades que são one single shot, em que temos de dar o melhor que podemos. E “Once Upon a Time…” foi uma delas.

“Once Upon a Time… in Hollywood” é um dos filmes mais aguardados do ano, e estreia em Portugal a 8 de agosto.