Faltam menos de duas semanas para a tão aguardada estreia do novo filme de Quentin Tarantino, “Era Uma Vez em… Hollywood”, protagonizado por Brad Pitt e Leonardo DiCaprio, a primeira vez que trabalham juntos.

Tarantino recua ao ano louco de 1969 com um elenco de luxo que conta com nomes como Margot Robbie, Luke Perry (falecido a 4 de março de 2019), Timothy Olyphant, Dakota Fanning, Al Pacino, Tim Roth, Emile Hirsch e Kurt Russell.

O argumento de “Era Uma Vez em… Hollywood”, que levou cinco anos a escrever, é ambientado em 1969, em Los Angeles. Um ator apagado e o seu duplo embarcam numa odisseia para tentarem vingar na indústria cinematográfica de Hollywood. O ano é 1969 e Charles Manson lançou o terror em Los Angeles com a sua visão apocalíptica do “Helter Skelter” e o assassinato de Sharon Tate, mulher do realizador Roman Polanski.

Depois do argumento de “Os Oito Odiados” (2015) ter sofrido um leak (uma fuga de informação) em 2014, Quentin Tarantino aprendeu a lição e guardou o final de “Era Uma Vez em… Hollywood” num cofre, segundo Robert Richardson, o Diretor de Fotografia. Apenas Brad Pitt, Leonardo Dicaprio e Margot Robbie leram o argumento na íntegra antes da produção propriamente dita, mas só o podiam ler na casa de Tarantino, com ele presente. Richardson, por exemplo, só foi autorizado a ler o final dois meses antes do filme ser filmado. Todos os outros atores nunca receberam o guião completo, reduzindo assim o risco de leak.

Desde a sua estreia no Festival de Cannes 2019 que o filme tem sido muito bem recebido pela crítica internacional e é tido como um dos melhores filmes de Tarantino e uma das grandes estreias do ano. Só no fim-de-semana de estreia (26 de julho nos EUA), “Era Uma Vez em… Hollywood” arrecadou mais de 41 milhões de dólares nas bilheterias norte-americanas, ficando em segundo lugar, atrás de “O Rei Leão” (2019). Foi também melhor estreia nas bilheteiras para qualquer um dos nove filmes de Tarantino.

Distribuído pela Big Picture, “Era Uma Vez em… Hollywood”, estreia a 15 de agosto nos cinemas portugueses.