Especial 25 de Abril: TVCine Edition exibe seis filmes para pensar a Liberdade

No feriado nacional, dia 25 de abril, o canal TVCine Edition dedica a sua programação à Revolução dos Cravos.
“Salgueiro Maia - O Implicado”, de Sérgio Graciano “Salgueiro Maia - O Implicado”, de Sérgio Graciano
“Salgueiro Maia - O Implicado” (2022), de Sérgio Graciano

O canal TVCine Edition assinala os 50 anos do 25 de Abril com a exibição de seis filmes portugueses que “propõem uma reflexão sobre o mais marcante acontecimento da História portuguesa recente”.

Com mais de 10 horas de programação ininterrupta durante o feriado, o especial 25 de Abril arranca às 14h10 com a exibição do filme “Aristides de Sousa Mendes – O Cônsul de Bordéus” (2011), de Francisco Manso e João Correa, sobre o cônsul português que desobedeceu às ordens “expressas de Salazar e concedeu mais de 30 mil vistos de entrada em Portugal a refugiados que desejavam fugir de França.”

Segue-se a exibição de “A Uma Hora Incerta” (2016), de Carlos Saboga, sobre dois refugiados franceses que ficam presos durante o regime fascista português; “Assalto Ao Santa Maria” (2010), de Francisco Manso, “baseado na história verídica do assalto ao paquete Santa Maria, um episódio histórico que marcou o princípio do fim da ditadura em Portugal e Espanha.”; “Operação Outono” (2012), de Bruno De Almeida, sobre “a operação que levou ao assassinato de Humberto Delgado pela PIDE em Fevereiro de 1965, em Villanueva del Fresno.”“Salgueiro Maia – O Implicado” (2022), de Sérgio Graciano, um retrato intimista sobre “o símbolo mais puro do 25 de Abril de 1974, Salgueiro Maia.”; e “Pátria” (2023), de Bruno Gascon, um filme “que imagina uma sociedade totalitária, onde são legitimados os movimentos neonazis que ajudam a impor a ordem”.

No dia 6 de maio, o canal TVCine Edition vai ainda exibir o documentário “O Que Podem as Palavras” (2022), de Luísa Marinho e Luísa Sequeira, sobre as três Marias, autoras do livro Novas Cartas Portuguesas “pelo qual foram julgadas por atentado à moral. O seu caso tornou-se a Primeira Ação Feminista Internacional.”

Skip to content