Especial “A Cidade e as Salas de Cinema. As Salas de Cinema e a Cidade”

“Já não é possível ir ao cinema na baixa do Porto: para ver um filme é preciso ir a um shopping. Numa cidade onde as salas de cinema deram lugar a bingos, hotéis e até parques de estacionamento…” (1). Perdeu-se uma determinada ideia de cinema, o cinema enquanto templo. Os hábitos culturais mudaram na sociedade, perdeu-se o espírito de cinéfilia, em que as pessoas iam ver o último Truffaut, Godard, Cantinflas, Chaplin ou Leone e Ford. A militância cinematográfica desapareceu. Deixou de ser importante vermos filmes numa sala escura, acompanhados pela família, amigos e/ou desconhecidos. Hoje, vemos cinema isolados, sozinhos, em casa. Ou seja, a experiência do cinema mudou radicalmente, a relação das pessoas com o cinema mudou. Precisamente, essa experiência perdeu-se, ou está a perder-se.

O Porto foi uma cidade crucial para o desenvolvimento das artes cinematográficas em Portugal, sempre na linha da frente. Mas, com o tempo, a cidade que já teve cinquenta salas de cinema ao longo de cem anos, foi deixando de ter essa força ao reduzir o investimento na Sétima Arte. Este problema é comum a cidades de todo o mundo, que assistem ao encerramento das suas salas de cinema.

Cinema Águia D’Ouro, Cinema Olympia, Cine Teatro Vale Formoso, Cinema Batalha, Coliseu do Porto, Cinema Trindade, Cinema Passos Manuel e Cinema Charlot, por exemplo, foram algumas das mais importantes salas de cinema que a cidade já teve. Atualmente, destas oito salas de cinema, apenas uma continua a ter essa função, o Passos Manuel. O Coliseu do Porto continua em funcionamento, mas oferece outro tipo de espetáculos. Com o tempo as restantes salas foram destruídas ou transformadas em parques de estacionamento ou em hotéis. Salas de cinema como as Salas Lumiére, a Central-Cine da Carcereira, o Cinema do Terço são hoje parques de estacionamento, ou seja, o seu edifício original foi destruído. Depois, há as salas que foram adaptadas para outra função, que não a de passar cinema. É o caso do Cinema Olympia que foi transformado, primeiro, em Bingo e depois de muitos anos fechado, foi aberto recentemente como um Bar. O Cinema Trindade também se transformou em Bingo, mas continua com duas salas de cinema, fechadas. O Cinema Águia D’Ouro foi recentemente adaptado para um Hotel de luxo, mas mantém a fachada Art Déco da década de 1930. No caso do Cinema Vale Formoso, encerrado em 1993, a sala foi comprada pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), depois da tentativa falhada em comprar o Coliseu do Porto. Atualmente a IURD continua a usar a sala, mas apenas aos sábados, estando neste momento a tentar vender o espaço, que se mantém igual. Por fim, a cidade do Porto mantém muitos dos edifícios dos cinemas, mas ao abandono. Como é o caso do Cinema Charlot, Estúdio Foco, Pedro Cem e Cinema Batalha. Estes cinemas estão encerrados há vários anos e apesar das muitas propostas que têm surgido, nenhuma se concretizou. É uma parte da história da cidade que se perde se estes edifícios um dia forem demolidos. Iremos ver nos próximos dias que existem alternativas para estes espaços da cidade. Assim, apenas o Coliseu, Passos Manuel, Sá da Bandeira, Rivoli, São João e Carlos Alberto funcionam, mas não apenas como cinema, pois há casos onde nem sequer passam cinema hoje. Estes espaços são hoje recintos culturais da cidade, que vão desde a dança, a música, ao teatro e ao cinema. O que nos resta hoje então? Os centros comerciais com cinemas multiplex, fora do centro da cidade.

O foco deste especial é a importância da sala de cinema na cidade, fazendo uma reflexão sobre a experiência cinematográfica. O Cinema 7ª Arte vai assim criar um especial, intitulado de “A Cidade e as Salas de Cinema. As Salas de Cinema e a Cidade”, de seis artigos dedicados à Sala de Cinema, que neste caso terá um enfoque maior na cidade do Porto, por ter sido uma cidade pioneira nas artes cinematográficas em Portugal.

“Que segunda cidade do país é esta que já teve um dos maiores cineclubes da Europa e onde agora há pessoas para tudo, menos para o cinema?” (2)

A Cidade e as Salas de Cinema. As Salas de Cinema e a Cidade

1.O Cinematógrafo no Porto & a Invicta Films (17 novembro)

2.As Salas do Porto (18 novembro)

3.Os Multiplex (19 novembro)

4.O Presente das Salas de Cinema (20 novembro)

5.O Cineclube do Porto (21 novembro)

6.A Experiência Cinematográfica (22 novembro)

 

Notas:

1) FERNANDES, Carlos; ARANHA, Eduardo – Porto: Do cinema na cidade aos filmes nos centros comerciais. Jornalismo Porto Net. (19/05/2013).

2) NADAIS, Inês – Porto: Onde é que estão os espectadores para o cinema?. Ipsilon. (27/02/2009).